Argentina dá um ‘chega pra lá’ na Bunge

Fisco argentino suspendeu o registro de operador de grãos da companhia e embargou bens por supostas irregularidades

por Globo Rural On-line

 Shutterstock

Argentina é o maior exportador de óleo e farelo de soja

A Bunge, uma das maiores companhias mundiais decomércio de grãos, teve o seu registro de operação no setor suspenso pelo fisco argentino nesta segunda-feira (16/4). A justiça também determinou o embargo dos bens da companhia por supostas irregularidades fiscais. As informações são da Reuters.
Segundo um comunicado oficial emitido pela Administração Federal de Ingressos Públicos (AFIP), a Bunge realizou triangulações nocivas de exportações, o que teria permitido a evasão de mais de 435 milhões de pesos, cerca de 100 milhões de dólares, em impostos entre os anos de 2006 e 2007. A AFIP afirmou ainda que a Justiça embargou os bens da empresa, que envolve ativos de 57 milhões de dólares, como garantia.
A Bunge já havia sido suspensa em março de 2011 pela AFIP.
A suspensão do registro da Bunge não deve afetar sua capacidade de fazer negócios na Argentina, mas aumenta sensivelmente o clima de insatisfação no setor no país que é o principal exportador de óleo de soja e de farelo.
A ausência do registro impõe desafios logísticos diante das restrições governamentais para transportar grãos no país, mas a suspensão não deve afetar as exportações, já que as grandes companhias de comercialização de grãos podem utilizar serviços terceirizados de transporte de cargas.

A safra de soja na Argentina está avançando rápido. Dados do Ministério de Agricultura Argentino (Minagri)apontaram que, até o dia 12 de abril, 29% de toda a safra já havia sido colhida nas principais províncias do país.

Fonte: Globo Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *