Após Operação Leite Compen$ado, presença de formol não foi mais detectada em amostras

Desde março, foram feitas mais de 600 análises laboratoriais pelo serviço de inspeção federal

Após Operação Leite Compen$ado, presença de formol não foi mais detectada em amostras Ronaldo Bernardi/Agencia RBS

Testes são feitos no Laboratório Nacional Agropecuário (Lanagro/RS), na zona sul da Capital Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS

Joana Colussi

joana.colussi@zerohora.com.br

Pouco mais de três meses após a Operação Leite Compen$ado desmontar um esquema de adulteração de leite no Norte do Rio Grande do Sul, fiscais federais agropecuários explicaram como é feita a inspeção periódica nas indústrias gaúchas e pontos de resfriamento do produto. No Laboratório Nacional Agropecuário (Lanagro-RS), na zona sul da Capital, foram feitas mais de 600 análises desde março.

— Após aqueles lotes retirados do mercado, não foi detectada presença de formol em mais nenhuma amostra de leite avaliada — garante Milene Cristine Cé, responsável pela inspeção de leite no Estado.

As amostras de leite cru e seus derivados são coletadas periodicamente pelos fiscais agropecuários em 107 estabelecimentos fiscalizados pelo serviço de inspeção federal e levados aos laboratórios credenciados no Ministério da Agricultura. No caso de análise fisico-química do leite, que detecta a presença de formol, apenas duas unidades são autorizadas a fazer o exame no Estado: a Lanagro/RS e o laboratório da Univates, em Lajeado.

Hoje, indústrias gaúchas de leite de derivados recebem mais de 9 milhões de litros por dia. Apesar do alto volume, o segundo maior do país, o Estado conta com apenas 34 fiscais federais para fazer a inspeção e fiscalização do cumprimento das exigências sanitárias nos estabelecimentos.

— O número de fiscais é muito pequeno para atender toda a demanda. O ideal era termos um quadro de pelo menos 60 pessoas — aponta Priscila Moser, chefe da divisão técnica do Lanagro e uma das diretoras do Sindicato Nacional dos Fiscais Federais Agropecuários (Anffa Sindical).

Após a Operação Leite Compen$ado, o número de denúncias de consumidores e produtores aumentou significativamente, conforme o chefe do Serviço de Inspeção de Produtos Animais do Estado, Marco Antônio dos Santos. Neste ano, até ontem, foram 134 denúncias — mais do que o ano passado todo, quando foram recebidas 96 denúncias.

Fonte: Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *