Após a chuva, replantio avança no RS

 Agricultores correm risco para garantir abastecimento das propriedades<br /><b>Crédito: </b>  cnj / cp memória

Agricultores correm risco para garantir abastecimento das propriedades
Crédito: cnj / cp memória

Para garantir o abastecimento dos animais e amenizar os prejuízos causados pela seca, agricultores gaúchos estão replantando milho após as chuvas registradas no Estado na última semana. De acordo com o gerente da Emater, Dulphe Pinheiro Machado, como o prazo estabelecido pelo zoneamento agrícola para o cultivo do cereal já terminou, esta opção é uma aposta de risco. Porém, o desenvolvimento vegetativo destas plantas até o momento indica, segundo Machado, que a opção deverá render bons frutos ao produtor, desde que as lavouras não enfrentem um outono frio. "De qualquer forma, poderá utilizar o milho para silagem", lembra ele, ressaltando que o cultivo tardio concentra-se, principalmente, na região dos vales do Taquari, Caí e Rio Pardo. No Noroeste do RS, devido à escassez de chuvas, os agricultores não tiveram a mesma oportunidade.
A colheita do milho gaúcho já atinge 25% da área, sendo que 18% da cultura está madura, 28% em enchimento de grãos, 14% em floração e 15% em desenvolvimento. Com 50% das lavouras em floração e 34% em enchimento, a soja segue com prejuízo pela falta de chuvas, que também favorece ataques de ácaros e lagartas. As variedades tardias estão com porte baixo e com falhas na germinação.

Fonte: Correio do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *