APOIO AO MILHO FICA PARA O 2º SEMESTRE

Se depender do governo federal, o RS deverá ficar sem recursos para apoio à comercialização de milho no primeiro semestre de 2013. ‘Se intervirmos agora, vamos provocar queda de preço bem quando entra a produção de verão’, salientou o secretário de Política Agrícola do Mapa, Neri Geller. O secretário, que foi debatedor ontem no 5 Fórum Nacional do Milho, enfatizou que a ajuda deve vir somente a partir do segundo semestre. O quadro, no entanto, não é de folga no balanço entre produção, demanda e exportações. O Estado deve produzir 4,7 milhões de toneladas, frente a um consumo das indústrias de suínos e aves de 5,7 milhões de t. Além disso, as exportações devem atingir 500 mil t, comercializando mais 500 mil t para Santa Catarina. Conforme Odacir Klein, coordenador do Fórum Nacional do Milho, a situação não é grave pela entrada da produção de verão. No entanto, agrega que o governo deve prever recursos para leilões de VEP, que barateariam o custo de logística.

O diretor-executivo da Asgav, José Eduardo dos Santos, vê com preocupação a falta de apoio governamental nos primeiros seis meses do ano, devido ao quadro de fragilidade e especulação de 2012. A associação já formalizou o pleito de renovar linha de custeio, no valor de R$ 150 mil por integrado, que venceu em 28 de fevereiro. Deve encaminhar também, juntamente com o Sips, uma proposta de orçamento para PEP. O diretor executivo do Sips, Rogério Kerber, prevê um quadro de preços da ração elevados em 2013. Nas contas do executivo, o Estado vai necessitar de 1,5 milhão de t em 2013. O consultor Carlos Cogo completa que os estoques mundiais são os menores dos últimos seis anos.

Fonte: Correio do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *