Ana Amélia anuncia renegociação de dívidas para produtores gaúchos atingidos pela seca

Em discurso no Plenário nesta quinta-feira (3), a senadora Ana Amélia (PP-RS) comemorou a autorização do Conselho Monetário Nacional (CNM) para os bancos renegociarem as dívidas de produtores gaúchos de milho e soja que foram atingidos pelos períodos de seca entre os anos 2003 a 2011.

Conforme explicou Ana Amélia, os produtores prejudicados pela estiagem têm até 30 de dezembro para buscar a renegociação. A dívida poderá ser paga em até 10 anos, com juros de 5,5% ao ano. A senadora registrou que as dívidas do setor podem chegar a R$ 400 milhões. De acordo com a parlamentar, foram muitas reuniões e audiências públicas, até que a decisão do governo fosse tomada. Ela ainda agradeceu representantes do Banco do Brasil e do governo, além de deputados e senadores que colaboraram para que a renegociação fosse autorizada.

– Essa decisão prova a utilidade do Parlamento no trato dessas questões – afirmou a senadora, lembrando que tem trabalhado muito para amenizar a situação dos produtores gaúchos atingidos pela seca.

Ana Amélia também destacou a importância do setor agropecuário para o Brasil. Ela lembrou que o produto interno bruto (PIB) do setor agrícola cresceu 3,13% no primeiro semestre deste ano, índice essencial para o crescimento econômico do país.

– É preciso um olhar mais atento a esse setor. Quando o campo vai bem, a cidade vai bem. Quando o campo vai mal, a cidade paga a conta – disse.

A senadora ainda informou que pediu a realização de uma audiência pública na Comissão de Agricultura e Reforma Agrária (CRA), para debater o projeto de lei da Câmara (PLC) 57/2013. Do deputado Alceu Moreira (PMDB-RS), a matéria desobriga o emplacamento de máquinas agrícolas. A medida, segundo a senadora, diminuiria os custos da produção e poderia aumentar a produtividade do setor agrícola.

Carta Cidadã

Ana Amélia registrou o lançamento do livro A Constituição de 1988, 25 anos – A construção da democracia & liberdade de expressão: o Brasil antes, durante e depois da Constituinte. O evento ocorreu pela manhã, no Salão Nobre do Senado. Para a senadora, a Constituição de 1988 teve o “empoderamento popular” como questão central. O radicalismo democrático e a liberdade de expressão também são características da Constituição Cidadã, na visão de Ana Amélia. Para a senadora, que era jornalista à época da Constituinte, todos os setores da sociedade participaram, de alguma forma, da construção do texto da Carta Magna.

– Não podemos permitir qualquer aventura que nos tire o que temos de mais sagrado, que é a liberdade de expressão – declarou.

Agência Senado

(Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Fonte: Agência Senado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *