Amerra negocia compra da São Fernando com o BNDES

Interessada em adquirir a Usina São Fernando, dos filhos do empresário José Carlos Bumlai, a gestora americana de fundos Amerra fez uma nova proposta ao BNDES, um dos principais credores da empresa. A gestora propôs quitar a dívida em atraso que a usina de açúcar e etanol tem com o banco de fomento e parcelar o restante a pagar, quase R$ 270 milhões, por 17 anos pela Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP).

Segundo fonte envolvida nas negociações, a proposta foi apresentada após o banco negar a oferta anterior, que não contemplava a quitação dos valores em atraso – cerca de R$ 30 milhões.

A oferta apresentada ao BNDES faz parte de uma proposta que inclui o pagamento de aproximadamente R$ 50 milhões que a usina tem em atraso com o Banco do Brasil e mais R$ 50 milhões referente à primeira parcela renegociada com os demais credores. A Amerra também pretende se comprometer a investir outros R$ 50 milhões para plantar cana-de-açúcar no primeiro ano.

A gestora tem centrado seus esforços de negociação com o BNDES. A proposta de refinanciar a dívida com o banco pela TJLP – atualmente em 7,5% ao ano – foi feita enquanto o governo discute mudanças ou a própria extinção da taxa. Segundo a fonte que acompanha as negociações, a proposta apresentada pela Amerra deve prever que, em caso de extinção da taxa, o refinanciamento ocorra "pelo indicador que a suceder".

Apesar do avanço das tratativas, a transação ainda tem um longo caminho a ser percorrido e depende de todos os credores da usina, já que a companhia está em recuperação judicial. Procurado, o banco disse que "avaliará todas as propostas que lhe forem apresentadas, mas não se manifestará sobre o teor de nenhuma delas".

O próximo passo será a votação de um novo plano de recuperação, o que deve ocorrer em 9 de março, data para a qual o Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJ-MS) marcou a primeira convocação para a assembleia geral de credores. A decisão, tomada pelo juiz Jonas Hass Silva Júnior, deixou sem efeito a liminar que suspendia o encontro, conforme pedia o BNP Paribas.

Os controladores pretendem aprovar na assembleia a constituição de uma unidade produtiva isolada (UPI) a ser leiloada judicialmente, em um processo em que investidores interessados podem apresentar suas propostas. Até o momento, apenas a Amerra tem uma proposta formalizada. O grupo argelino Cevital já demonstrou interesse, mas não chegou a apresentar nada concreto.

Por Camila Souza Ramos | De São Paulo

Fonte : Valor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *