Alta no preço da soja acelera movimentação no Porto de Paranaguá

Com dólar em alta e cotação da soja em bons patamares exportações se intensificam

por Luciana Franco

Divulgação/Porto de Paranaguá

O dólar na melhor cotação dos últimos três anos, em R$ 2, o preço pago pela saca de soja em Paranaguá no melhor patamar da história – ultrapassou os R$ 60 – e o prêmio pago pela soja exportada por Paranaguá na bolsa de Chicago em US$ 0,74, o melhor de três anos, tudo isso vem fazendo com que os exportadores de soja promovam uma verdadeira corrida aos portos. De acordo com o superintendente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina,Luiz Henrique Dividino, quando há um alinhamento de valores positivos, as transações comerciais são aceleradas e tem-se uma corrida para os portos. O reflexo desta conjunção de fatores é a movimentação atípica no terminal.

No primeiro quadrimestre, o Porto de Paranaguá já exportou 3 milhões de toneladas de soja, volume 68% superior ao exportado no mesmo período do ano passado. Também foi escoado 1,6 milhão de toneladas de farelos de soja, volume 23% superior ao registrado em 2011.
A alta na movimentação reflete-se diretamente na quantidade de navios. Nesta segunda-feira (21/5), 51 navios estão aguardando para atracar no Porto de Paranaguá. Destes, 25 esperam para atracar no corredor de exportação. Os navios em espera estão distribuídos em 20 berços de atracação. Sob a ótica da produção é importante mencionar que o Porto finaliza aproximadamente 10 navios por dia e por outro lado podem chegar mais de 10 embarcações diariamente. A fila é dinâmica e em determinados momentos a espera é maior ou menor, dependendo das operações.
Essa situação pode ser observada também nos portos vizinhos. Em Santos (SP), o relatório de navios apontava nesta segunda-feira (21) 76 embarcações aguardando atracação. Em São Francisco do Sul (SC), nove. No Porto de Rio Grande (RS), 20 navios estão aguardando para atracar nesta mesma data. O tempo de espera varia de acordo com o tipo de carga. “Neste momento, quando temos todos os eventos comerciais favoráveis e os produtores e tradings buscando resultados, forma-se esta corrida aos portos. Hoje, o tempo de espera hoje pode chegar até 30 dias em função desta corrida pela carga. Mas esse tempo de espera se reduz rapidamente. O Porto de Paranaguá pode atender seis navios simultaneamente reagindo rapidamente no carregamento dos grãos”, explica Dividino.

Fonte: Globo Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *