ALERTA – Chuva que levou caos para São Paulo deve avançar para outros estados

São esperadas pancadas de chuva no norte paulista, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Goiás, Espírito Santo, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul; confira a previsão

Chuva, tempo guarda-chuva

Foto: Pixabay

O Estado de São Paulo amanheceu debaixo d ‘água nesta segunda-feira, 10, após a passagem de uma frente fria. Na região metropolitana, os rios Tietê e Pinheiros transbordaram com acumulados que chegaram a 160 milímetros em menos de doze horas, de acordo com o Centro de Monitoramento de Desastres Naturais (Cemaden). A Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo, Ceagesp, uma das principais empresas estatais brasileiras de abastecimento ficou debaixo d’água.

No interior, os maiores estragos aconteceram em áreas do cinturão verde da Grande São Paulo. Choveu mais intensamente que o normal na costa de Santa Catarina e do Paraná e em boa parte do Sudeste, Centro-Oeste e Matopiba. Em São Félix do Araguaia (MT), choveu mais de 200 milímetros em cinco dias, apenas 100 milímetros a menos que o normal para todo o mês de fevereiro.

As atividades de colheita da soja e plantio da segunda safra do milho foram paralisadas pelo excesso de chuva. Também choveu intensamente nos primeiros dias de fevereiro em  Goianésia (GO), alguns locais com mais de 300 milímetros.

A invernada não para, mas muda de posição, acontecendo no norte de São Paulo, Rio de Janeiro, sul, centro e oeste de Minas Gerais, sudoeste de Goiás, sul do Espírito Santo, leste, centro e norte de Mato Grosso do Sul e sul de Mato Grosso. Na Zona da Mata de Minas Gerais, onde o acumulado passa dos 150 milímetros em sete dias.

As atividades de campo paralisam em áreas importantes como Triângulo Mineiro, Rio Verde, Primavera do Leste e Chapadões de Mato Grosso do Sul. Nos portos de Santos e Paranaguá, as atividades também prosseguirão de forma Chuva que levou caos para São Paulo deve avançar para outros estados mais lenta até a quinta-feira, 13. Por outro lado, o norte de Goiás, o Médio Araguaia (MT), Tocantins e Pará devem ter uma semana mais favorável aos trabalhos de campo.

No Rio Grande do Sul, a chuva do fim de semana foi fraca e o norte do Estado enfrenta uma estiagem superior aos 10 dias. As próximas precipitações somente retornam mais perto do dia 20 de fevereiro, aumentando a chance de perdas na soja. Já na fronteira do Rio Grande do Sul com o Uruguai, a estiagem começou em novembro passado e as perdas são bastante significativas.

Por Pryscilla Paiva, de São Paulo

Fonte : Canal Rural