AGRONEGÓCIOS – Vitivinicultura terá revisão de substituição tributária

O governador Eduardo Leite participou, na tarde de ontem da inauguração da nova fábrica da Unidade Vinhedos, da Vinícola Aurora, em Bento Gonçalves. Na ocasião, Leite anunciou a revisão da substituição tributária do setor vitivinícola, uma demanda dos empreendedores.

O setor pede a exclusão do regime de substituição tributária para produtos vitivinícolas, alegando que o mecanismo onera a indústria nacional por ter de antecipar o recolhimento do ICMS antes da venda para o consumidor. "É uma demanda do setor, capaz de dar mais competitividade aos empreendedores. Já estamos negociando e, muito em breve, vamos anunciar mudanças", detalhou.

A nova fábrica da Aurora deve absorver a produção e o envase de suco de uva integral e de vinhos de mesa, com capacidade inicial de produção de até 10 mil garrafas por hora. A expectativa é de que alcance, até o próximo ano, a marca de 30 mil garrafas por hora.

A Aurora é a maior cooperativa vinícola do Brasil, com 1,1 mil famílias associadas, o que totaliza 4,5 mil pessoas. A safra anual média é de 60 mil toneladas de uva, que são convertidas em 46 milhões de litros de produtos, entre os quais, sucos de uva integrais, vinhos tintos, brancos e rosés, espumantes, além de coolers. Em 2018, a cooperativa faturou R$ 540 milhões, vendendo mais de 60 mil litros de vinhos e de sucos.

As atividades da nova fábrica, que fica no Vale dos Vinhedos, estão previstas para ter início neste semestre. Há, ainda, previsão de implantar uma nova linha de envase para mais 10 mil garrafas por hora até o final de 2021. Com essa projeção, a nova fábrica terá capacidade produtiva de 40 mil litros por hora.

Fonte : Jornal do Comércio

Compartilhe!