AGRONEGÓCIOS – Trigo supera expectativa de produtividade no Rio Grande do Sul

Comparado ao ciclo passado, a alta na produtividade chega a 96,7%

Comparado ao ciclo passado, a alta na produtividade chega a 96,7%

Com uma amostra de 255 municípios que cultivam trigo no Rio Grande do Sul, que cobrem em torno de 86% da área total cultivada, a Emater-RS-Ascar finaliza a última pesquisa com os dados da safra 2016 de trigo no Estado. O levantamento indica que o Rio Grande do Sul deverá alcançar 3.132 kg/ha de produtividade média nas lavouras gaúchas, em uma área de 766.864 hectares, alcançando uma produção de 2.402.119 toneladas do produto.

Comparado com a safra passada, esses números representam uma elevação de 96,7% na produtividade e de 72,6% na produção, quando o Estado alcançou 1.592 kg/ha de produtividade e 1.391.829 toneladas de produção, mesmo com uma redução de área de -13,1%. Já em relação à média das últimas cinco safras de trigo, esta, em conclusão, deverá ter uma produção 8,9% maior e a produtividade, um acréscimo de 41,6%, a segunda maior alcançada no Estado com a cultura, ficando atrás apenas do ano de 2013, quando o Estado alcançou 3.164 kg/ha.

"O aumento se deve a diversos fatores, como a boa tecnologia empregada aliada à Assistência Técnica no cultivo, além das condições climáticas adequadas à evolução da cultura", avalia o presidente da Emater-RS, Clair Kuhn, ao ressaltar o trabalho dos técnicos e extensionistas, "fundamental para que a cultura do trigo supere a expectativa de rentabilidade e qualidade".

Letra de Crédito pode ser contratada para investimento

A partir de agora, os recursos da Letra de Crédito do Agronegócio (LCA) passarão também a contemplar os financiamentos de investimento, além do custeio rural. A normativa foi autorizada pelo CMN. As instituições financeiras que operam com o crédito rural devem obrigatoriamente direcionar 14% dos recursos que captarem via LCA para custeio rural a uma taxa de até 12,75% ao ano. Com a resolução, elas poderão direcionar os recursos também para financiamentos de investimento rural, com a mesma taxa.

KATIA MARCON/EMATER/DIVULGAÇÃO/JC

Fonte : Jornal do Comércio

Compartilhe!