AGRONEGÓCIOS – Preço do leite registra tendência de estabilidade em novembro

Valor projetado para o mês é de R$ 0,8454 o litro, alta de 1,03%

PEDRO REVILLION/PALÁCIO PIRATINI/JC

Valor projetado para o mês é de R$ 0,8454 o litro, alta de 1,03%

O preço do leite padrão deve apresentar tendência de estabilidade no Rio Grande do Sul neste mês de novembro. Dados divulgados ontem na reunião do Conselho Paritário do Leite (Conseleite), realizada na Farsul, indicam que o valor projetado para o mês é de R$ 0,8454 o litro, 1,03% maior do que o consolidado do mês de outubro, que ficou em R$ 0,8367.

De acordo o professor da Universidade de Passo Fundo (UPF) Eduardo Finamore, que apresentou o estudo, o resultado do mês de outubro teve alta de 1,94% acima do que foi projetado, que inicialmente estava previsto em R$ 0,8208 o litro.

Segundo o presidente do Sindicato da Indústria de Laticínios do RS (Sindilat), Alexandre Guerra, que também presidiu a reunião, a leve elevação no preço se deve a uma parte da margem do aumento de custos, como nos combustíveis e na energia, que a indústria repassou ao produto final. Ao mesmo tempo, está impactado pela retração provocada pelas condições climáticas, com o excesso de chuvas, registradas neste ano. "Houve elevação de custos em função dos gastos maiores com a produção e pela recuperação dos prejuízos provocados pelas condições climáticas", afirmou Guerra.

IGL promove cursos inéditos do PAS Leite na Capital e Nova Petrópolis

O Instituto Gaúcho do Leite (IGL) está ministrando nesta semana dois treinamentos inéditos no Rio Grande do Sul com a metodologia Programa Alimentos Seguros (PAS) Leite. Um deles foi realizado até ontem, na sede da Famurs, em Porto Alegre, para 25 fiscais do Sistema de Inspeção Municipal (SIM) com instrutores do Senai. Segundo a engenheira de alimentos e instrutora do PAS Leite, Alessandra de Cesaro Dehahardt, o foco são as boas práticas de fabricação (BPF). "Estamos capacitando os fiscais para que tenham uma conduta orientativa e não apenas punitiva", diz Alessandra. Na avaliação da técnica, em função de um histórico de treinamentos dados a indústrias no Estado, não havia esse alinhamento que agora começa a ocorrer sobre a interpretação da legislação na prática pelos fiscais municipais.

O curso, segundo Alessandra, engloba as principais legislações de BPF para indústrias de alimentos, os perigos existentes nos alimentos, o seu controle e gestão. A carga horária de 16 horas prevê também os cuidados com a potabilidade da água, a higienização das superfícies de contato com o produto e do ambiente, a prevenção da contaminação cruzada, controle de fornecedores e manutenção e calibração de equipamentos, entre outros assuntos.

Para o assessor técnico da Famurs, Ismael Felipe Horbach, essa formação patrocinada pelo IGL é imprescindível para os municípios gaúchos. Segundo último levantamento da entidade, 68,5% das prefeituras do Estado possuem SIM. "Esse treinamento representa uma continuidade para a qualificação dos técnicos. A área que faltava era a da cadeia leiteira", salienta Horbach. A segunda qualificação que conta com patrocínio do IGL, a do PAS Campo, também é inédita no Estado. O projeto-piloto ocorre até sexta-feira para técnicos da Cooperativa Piá, em Nova Petrópolis. O foco do treinamento é a segurança e a qualidade do leite.

Fonte : Jornal do Comércio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *