AGRONEGÓCIOS – Grãos de inverno devem ter grande produtividade

No Norte e no Noroeste, as primeiras plantas já apresentam flores

No Norte e no Noroeste, as primeiras plantas já apresentam flores

O retorno das chuvas deverá garantir a retomada da expectativa de uma boa produtividade das lavouras de trigo, já que grande parte delas começa a atingir, com percentuais mais elevados, o estádio reprodutivo (floração). De acordo com informações divulgadas pela Emater nesta quinta-feira, 12% das lavouras de trigo no Estado atingem essa fase e apresentam boa população de plantas e bom aspecto, com boa sanidade vegetal.

O clima em geral tem sido favorável ao bom desenvolvimento das lavouras, mesmo que tenham ocorrido algumas geadas em áreas mais baixas, pois foram de fraca intensidade e não causaram prejuízos. Um fato a destacar no trigo é a baixa incidência de doenças fúngicas na maioria das lavouras, justamente por conta da baixa umidade, o que tem levado a uma diminuição na aplicação de agroquímicos. Segue em andamento o controle fitossanitário, especialmente a ferrugem da folha e do colmo, assim como o controle da giberela nas lavouras em floração.

As lavouras de aveia se encontram nas fases de floração (43%) e enchimento do grão (20%). Até o momento, as condições meteorológicas têm sido favoráveis. Apenas em casos pontuais foi verificado acamamento de plantas devido às chuvas, todavia acredita-se que não deverá causar maiores danos na colheita, que prevê uma produtividade média de 2,4 mil kg/ha.

A cultura da cevada segue nas fases de elongação e emborrachamento, com 13% das lavouras já atingindo o pleno florescimento, sem problemas com pragas e doenças, uma vez que surtiram efeito os tratamentos realizados recentemente. Com a aplicação do nitrogênio em cobertura, as plantas aceleraram seu crescimento. Técnicos que atuam na área trabalham, até o momento, com um potencial produtivo da cultura estimado em 3,3 mil kg/ha.

A canola está em floração plena (59%), fase beneficiada pela presença de abelhas que auxiliam no trabalho de polinização das flores, resultando num alto índice de fecundação e em probabilidade de bom rendimento por área. Até o momento, o padrão fitossanitário das lavouras é considerado bom, e o clima tem transcorrido favorável para a canola, predominando dias secos e temperaturas noturnas baixas. O potencial produtivo da cultura no momento é de 1,5 mil kg/ha.

/PAULO KURTZ/EMBRAPA/DIVULGAÇÃO/JC

Fonte: Jornal do Comércio