AGRONEGÓCIOS – Fundoleite interrompeos repasses para o IGL

Segundo Ernani Polo, falta harmonia e unidade no setor leiteiro

Segundo Ernani Polo, falta harmonia e unidade no setor leiteiro

ANTONIO PAZ/JC

Marina Schmidt

O Conselho Deliberativo do Fundoleite decidiu, nesta quinta-feira, suspender o convênio e os repasses ao Instituto Gaúcho do Leite (IGL). A decisão da maioria (18 votos a favor da suspensão e dois contrários) foi tomada levando em conta queixas quanto à atuação do instituto e está amparada, sobretudo, nos apontamentos vindos da Câmara Temática do Leite da Ocergs.

Na semana passada, o conjunto de cooperativas que participam do grupo deliberou sobre o tema, definindo dois encaminhamentos que seriam levados ao Fundoleite. O primeiro ponto tratava justamente do pedido para que os recursos ao IGL fossem suspensos. Adicionalmente, as cooperativas pediram para que fossem iniciadas discussões sobre a reestruturação do Fundoleite.

O presidente da Ocergs, Vergilio Perius, levantou três questões sobre a atuação do fundo, conforme consta na ata do encontro: "Quais entidades devem compor o Fundoleite e o IGL? Onde deverão ocorrer os investimentos do Fundoleite? Quais são os ajustes no orçamento que já está sendo executado?".

Basicamente, a reunião do Conselho Deliberativo do Fundoleite repercutiu os aspectos já sinalizados pela Câmara Temática do Leite da Ocergs. Além de acatar a sugestão para que fossem interrompidos, temporariamente, os repasses ao IGL, os conselheiros também acordaram com a criação de um grupo de trabalho para rediscutir o funcionamento do Fundoleite.

"Hoje, não há uma harmonia do setor. Falta unidade", descreve Ernani Polo, secretário da Agricultura e presidente do Conselho Deliberativo do Fundoleite. Ele explica que a suspensão temporária se dá, justamente, para buscar um equilíbrio entre o segmento. Polo também contextualiza que as divergências são antigas, datam da criação do Fundoleite e do IGL, mas foram acentuadas mais recentemente.

Segundo Polo, o grupo de trabalho que debaterá o futuro do Fundoleite, e também do IGL, realizará o primeiro encontro no dia 4 de agosto. Participarão representantes das cooperativas, como Ocergs e Fecoagro-RS, dos produtores (Fetag e Farsul), da indústria (Sindilat-RS e Apil-RS) e do governo estadual (secretarias da Agricultura e do Desenvolvimento Rural). O secretário frisa que os recursos do Fundoleite serão mantidos para os compromissos já firmados pelo IGL dentro do convênio, mas que, a partir de agora, não estão autorizadas novas verbas. Não foi definido por quanto tempo a decisão irá vigorar.

O presidente do IGL, Gilberto Piccinini, disse que oficialmente ainda não foi comunicado. "Reuniremos a diretoria na semana que vem", sinaliza, argumentando que a entidade irá avaliar os apontamentos feitos pelo Fundoleite, mas que a decisão "não quer dizer que é o fim do IGL". Piccinini também se comprometeu a conversar com a imprensa sobre a questão e sobre os novos rumos do instituto, oportunamente.

Fonte : Jornal do Comércio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *