AGRONEGÓCIOS – Fenasoja chega aos 50 anos com safra recorde no Rio Grande do Sul

O governador José Ivo Sartori (em pé) participou da solenidade de lançamento do evento no Palácio Piratini

O governador José Ivo Sartori (em pé) participou da solenidade de lançamento do evento no Palácio Piratini

Marina Schmidt

Realizada em Santa Rosa há cinco décadas, a 21ª Feira Nacional da Soja (Fenasoja) foi lançada, oficialmente, nesta segunda-feira, durante almoço promovido pelos organizadores do evento no Galpão Crioulo do Palácio Piratini. Neste ano, a feira acontecerá provavelmente consagrando mais uma safra recorde – que, segundo o presidente da Emater, Clair Tomé Kuhn, deve passar de 16 milhões de toneladas colhidas. Segundo o informativo conjuntural da entidade, a colheita já superou 25% da área plantada (nesta quinta-feira, esse dado deve ser atualizado).

A realização da Fenasoja coincidirá com o encerramento da safra, no final deste mês, e ocorrerá de 29 de abril a 8 maio no Parque Municipal de Exposições Alfredo Leandro Carlson, em Santa Rosa. Consagrada como o berço da soja no País, a cidade – que há 102 anos foi a primeira no País a cultivar o grão -, se mobiliza para o evento, que conta com a participação voluntária de centenas de pessoas, destacou o presidente da Fenasoja, Gerson Miguel Lauermann. "É um evento da comunidade", sintetizou, salientando que atuam para concretização da feira 30 pessoas permanentemente ao longo do ano. "Mas quando chega esse período se somam mais 400 pessoas que trabalham voluntariamente", reforçou.

Contrariando a lógica da crise econômica, Lauermann disse que a equipe está bastante confiante no sucesso da Fenasoja. "Ampliamos a área de exposição em 18% e não tivemos dificuldade de comercialização", admitiu. Serão mais de 600 expositores presentes nesta edição, o que fortalece a conotação do evento, cada vez mais voltado para os negócios.

"Não existe avanço aonde não houver trabalho comunitário", citou o governador José Ivo Sartori. O chefe do Executivo defendeu que os eventos sejam mantidos por todo Estado, como forma de contornar os efeitos da crise econômica. "O agronegócio é o que dá sustentação ao PIB gaúcho. Diretamente, corresponde a 44% do PIB, mas indiretamente a contribuição passa dos 60%."

Destacando o potencial de crescimento ainda maior na produção da soja, o secretário da Agricultura, Pecuária e Irrigação, Ernani Polo, assegurou que é possível ampliar a área plantada. Essa expansão, revelou, ganha força com o programa estadual de manejo.

O prefeito de Santa Rosa, Alcides Vicini, enalteceu o trabalho de equipe que possibilita a realização do evento todos os anos. Em 2015, a Fenasoja recebeu mais de 210 mil visitantes e movimentou quase R$ 70 milhões em negócios.

LUIZ CHAVES/PALÁCIO PIRATINI/JC

Queda do preço do grão se enfraquece

A expectativa é que a liquidez seja ainda maior nas próximas semanas

A expectativa é que a liquidez seja ainda maior nas próximas semanas

A maior oferta de soja no Brasil e a desvalorização do dólar frente ao real seguem pressionando as cotações internas do grão. Segundo pesquisadores do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) da Esalq/USP, as quedas, no entanto, foram limitadas pelo aumento pontual da demanda doméstica e também pela alta dos valores na Bolsa de Chicago (CME Group), influenciada pelo clima desfavorável ao início do cultivo nos Estados Unidos.

Além disso, as estimativas de estoques e da área a ser cultivada com soja nos Estados Unidos ficaram abaixo do aguardado pelo mercado, fatores que levaram traders a aumentar as aquisições. Os negócios envolvendo soja estiveram movimentados na semana passada no Brasil, apesar de incertezas quanto à qualidade da safra brasileira. A expectativa é que a liquidez seja ainda maior nas próximas semanas.

CLAUDIO FACHEL/PALÁCIO PIRATINI/JC

Fonte : Jornal do Comércio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *