AGRONEGÓCIOS – Dia de muitos test drives e boas vendas na Expodireto

Sócios Marchi e Marque optaram pelo Imperator 3.0

Sócios Marchi e Marque optaram pelo Imperator 3.0

Rodeados por grandes e pequenas máquinas agrícolas, os produtores rurais que visitam a Expodireto, em Não-Me-Toque, circularam de um lado a outro com olhares atentos e deslumbrados, como em um parque de diversões. A hora de "brincar" é fazendo test drives oferecidos por algumas das principais fabricantes. Em alguns casos, o test drive é o momento decisivo para a compra. Foi o que aconteceu com Diego de Marque e Renato de Marchi. Acompanhados do pequeno Igor, 10 anos, filho de Marchi, os sócios aprovaram a experiência de pilotar o Imperator 3.0, da Stara, e fecharam negócio no valor de cerca de R$ 750 mil. A dúvida, segundo eles, era apenas se iriam fazer aquisição à vista ou com financiamento.

"Já temos na propriedade de Marau um Gladiador (pulverizador, também da Stara), mas o Imperador 3.0 tem a vantagem de ser também um distribuidor (de fertilizantes granulados). Isso reduz custo de combustível, por exemplo, e também do seguro, de apenas uma máquina, em vez de duas", justifica Marchi.

Também aproveitando a feira para testar máquinas, Marçal Dornelles, de Manoel Viana, gostou da colheitadeira S440, da John Deere, pela tecnologia e rotor de trilha. De acordo com o produtor de soja e aveia, que já utilizou a mesma máquina em sua propriedade, por arrendamento, o equipamento tem menos perda e quebra de grãos do que a colheitadeira possui. "Ainda estou avaliando, mas acho que compensa a compra (no valor de cerca de R$ 780 mil). Ela dá um ganho de 1,5 saca por hectare, em média", calcula Dornelles, que também elogiou o mapeamento de lavoura feito pela colheitadeira, e considera que a tecnologia embarcada o ajudará a reduzir custo com químicos e com combustível.

O test drive também determinou a escolha de Deiverson Fiirst, de Santa Catarina. Ele chegou a fazer a experiência em um trator um A 124, com cabine fechada, ar-condicionado e transição automática, que facilita o trabalho e exige menos esforço. Ele optou, porém, pela séria A 950, sem cabine, pelo preço (R$ 132 mil) e pela potência maior do que o que já possui. "Vou passar de um modelo de 75 cv para 110 cv, o que para mim é importante". Já o trio Vanessa Donzelli e os irmãos Maurício e Vinicius Lunelli gostaram da experiência com os tratores da linha 7719 da Massey Ferguson. "Tem muita estabilidade, conforto e bom desempenho, além de mais tecnologia do que o modelo da Massey que já usamos. Mas viemos só olhar e testar", dizem os irmãos Lunelli.

Entre os expositores que estão na feira sem test drive, um dos destaques é o trator "gigante" da New Holland, o T9565. Com 22 mil quilos (um modelo convencional grande pesa, em média, 17 mil quilos), arrasta grades de até 60 linhas para trabalho na terra e tem tanque com capacidade para 1.113 litros. O preço gira em torno de R$ 1,3 milhão. "Quase tudo nele é o dobro da média. Hoje tem apenas 40 modelos no Brasil, dois no Rio Grande do Sul. É importado, mas estamos tirando taxas de importação e operando com mesmas taxas de financiamento do Moderfrota (7,5%) para poder facilitar a aquisição. A perspectiva é vender mais 40 unidades neste ano", revela Juliano Perelli, especialista de marketing em tratores da New Holland.

/MARCO QUINTANA/JC

Thiago Copetti, de Não-Me-Toque

Fonte : Jornal do Comércio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *