AGRONEGÓCIOS – Bancos disputam os produtores na Agrishow

Santos e a esposa Adriana aderiram às condições no estande da MF

Santos e a esposa Adriana aderiram às condições no estande da MF

/CAROL JARDINE/DIVULGAÇÃO/JC

Carolina Hickmann, de Ribeirão Preto

O agricultor Jair dos Santos Neto foi para a Agrishow com a missão de renovar parte de sua frota de maquinário agrícola. Acompanhado da esposa, Adriana dos Santos, varreu os estandes do evento atrás de uma boa oportunidade de negócios na compra de uma colheitadeira de grãos, que será usada em sua propriedade rural de 220 hectares em Orindiuva, município de São Paulo que fica cerca de 200 km de Ribeirão Preto, onde a feira acontece até amanhã.

Uma das preocupações do produtor no momento da aquisição era, justamente, as condições de pagamento. Neto optou pela colheitadeira classe 6 Massey Ferguson 9695. O investimento de R$ 970 mil foi realizado a partir da linha de crédito do Moderfrota, que, para a feira, conta com a possibilidade de pagamento da primeira parcela somente em 2019, além de taxa de 7,5% ao ano, pelo prazo de sete anos.

Na iminência do anúncio de um novo plano safra, as instituições financeiras vieram para a Agrishow com valores elevados em crédito pré-aprovado. A AGCO Finance, que financia maquinário Massey Ferguson, levou R$ 700 milhões em crédito pré-aprovado a feira. O valor é cerca de 30% superior ao disponibilizado no ano passado (R$ 550 milhões).

Mesmo com as sinalizações de diminuição de taxas no plano safra 2018-2019 em razão da queda da Selic, a avaliação do superintendente comercial da instituição financeira, Paulo Schuch, é de que não houve retração nas aquisições de máquinas pela possibilidade de melhores condições de financiamento mais adiante. "O que acontece é os agricultores aproveitarem esse momento de safra farta e bons preços para investirem naquilo que precisam", argumenta.

O Santander é outro banco que está com quantidade importante de crédito pré-aprovado – mais de R$ 1 bilhão. Como maneira de atrair público, o banco passou a isentar seus clientes de comissão, ou seja, excluiu a taxa de mercado que incide sobre o valor total da compra (flat 0%). "Isso tem capacidade de diminuir o valor do produto em 2% a 3%. Em produtos de alto valor é muito significativo", argumenta o superintendente executivo de agronegócios, Paulo Bertolane. No Banco do Brasil, maior financiador do setor agrícola, os primeiros dias de feira foram de procura superior em 50% na relação com os primeiros dias de feira do ano passado. "Realizamos ações anteriormente ao evento que impulsionaram a procura, além disso, não estamos cobrando taxa flat e aumentamos os limites de crédito do portfólio investimento", disse.

Como terceira maior fonte de crédito do País, sendo a principal em repasses atrelados ao Bndes, o Sicredi levou R$ 100 milhões pré-aprovados, montante bastante superior aos R$ 33 milhões do ano passado. Por outro lado, o gerente de crédito direcionado da instituição, Silas Souza, lembra que quem adquire maquinário agora é, majoritariamente, quem tem uma necessidade imediata. Como consultor dos associados da cooperativa de crédito, ele recomenda cautela. "Se tem como esperar um pouco, faz sentido aguardar pelo próximo plano", diz.

A partir de parceria com o banco holandês DLL, a empresa israelense de equipamentos de irrigação sustentáveis e de alta tecnologia Netafim lançou o NetaFinance durante a Agrishow. A meta, explica o CEO da empresa para o Mercosul, Alexandre Gobbi, é que o movimento auxilie na expansão de 20% em negócios neste ano. Atualmente, 20% das vendas da Netafim são realizadas por financiamento via Finame. Com o início das operações do DLL, a expectativa é que o NetaFinance concentre sozinho 10% dos negócios já no primeiro ano de trabalho.

Expositores trazem novidades tecnológicas para a feira de Ribeirão Preto

Entre outras vantagens, drone pulverizador não compacta o solo

Entre outras vantagens, drone pulverizador não compacta o solo

ELEVA/DIVULGAÇÃO/JC

Apesar do desafio do acesso à internet no campo, empresas de maquinário continuam a apresentar diversidade de inovações com este viés na Agrishow. Nesta 25ª edição, uma das atrações da feira é o protótipo do drone pulverizador Eleva Spray 150. O projeto é da empresa que desenvolve, fabrica e comercializa soluções para o mercado aeronáutico, Eleva.

Segundo Luciano Castro, um dos fundadores da marca, o equipamento tem vantagens especialmente sobre tratores, uma vez que não ocasiona compactação de solo. "A cada passada de pneu existe avaria de 5% do solo. Em um hectare de soja que produz 60 sacos por hectares o desperdício seria de R$ 240,00, imagina em grandes propriedades", projeta Castro, em cálculo rápido. Outro diferencial é a sua eficiência, enquanto um trator comum costuma pulverizar 120 hectares em oito horas de trabalho, a novidade chega a cobrir área de 16 hectares em 15 minutos.

O drone, de 5,5 metros de largura, possibilita inclusive formação coletiva. Georreferenciada, a ferramenta possui registro de rota realizada, que garante o retorno a última coordenada pulverizada. A tecnologia está em fase de prospecção de investimentos e deve ter início de vendas em 2019. Suas primeiras unidades provavelmente serão disponibilizadas apenas em 2020.

A máquina precisa de conexão com a internet para transmitir dados a torre de controle, localizada fora da propriedade rural. Castro argumenta que a conectividade no campo é uma tendência sem volta, e lembra que existem soluções aos que tiverem interesse nos diferenciais destas tecnologias no que tange o acesso à internet. "A internet a rádio está aí, e outras soluções surgem a todo o momento. Nosso produto tem diferenciais que valem o investimento", argumenta.

A adição de serviços ligados à tecnologia como diferencial também é uma tendência. A Case IH com produtos de alta tecnologia embargada, destina central telefônica de atendimento para solucionar questões de seus clientes de maneira célere. Segundo empresa, somente no ano passado foram mais de 6 mil ligações recebidas com dúvidas sobre o funcionamento de displays e outras tecnologias, 85% delas foram resolvidas ao telefone. O planejamento da marca é dar um passo além no quesito de assistência técnica pela conexão de seus engenheiros a propriedade dos clientes a partir de óculos de realidade virtual, solução que deve chegar ao público no prazo de cinco a 10 anos.

Gerdau Melhores da Terra apresenta vencedores

Os vencedores da 34ª edição do Prêmio Gerdau Melhores da Terra foram conhecidos na Agrishow. Reconhecido como uma das principais homenagens para o setor de máquinas e equipamentos agrícolas da América do Sul, o prêmio objetiva incentivar a inovação e a excelência no setor do agronegócio.

Na categoria Agricultura Familiar, a vencedora foi a colhedora de forragem JM4200SH com Cracker da Jumil. A máquina ensiladora de uma ou duas linhas pode ser acoplada ao trator e tem o objetivo de incrementar a produtividade pecuária leiteira familiar.

Já na categoria Agricultura de Escala, o distribuidor a lanço Uniport 5030 NPK da Jacto foi o destaque. Ele opera com distribuição de fertilizantes sólidos e é utilizado na produção de grãos, algodão e pastagem.

Fonte : Jornal do Comércio