AGRONEGÓCIOS – AL-RS vai criar política permanente de irrigação

Segundo Elton Weber, proposta inclui recursos financeiros e tecnologia

Segundo Elton Weber, proposta inclui recursos financeiros e tecnologia

/JONATHAN HECKLER/ARQUIVO/JC

Adriana Lampert

Nos próximos 120 dias, um grupo de deputados gaúchos e técnicos de entidades ligadas ao setor agrícola deve se debruçar na construção de uma política pública permanente de irrigação, estoque e reserva de água nas propriedades rurais no Estado. De acordo com o relator da subcomissão vinculada à Comissão de Agricultura, Pecuária e Cooperativismo da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul (AL-RS), Elton Weber (PSB), a proposta será apresentada como projeto de lei estadual. "A cada cinco ou seis anos, o problema da seca nas lavouras retorna, o que mostra a necessidade da criação de uma lei estadual, com orçamento e diretrizes básicas que perpassem governos para garantir água aos produtores", defende o deputado.

O relator adianta que a proposta de política pública em forma de lei deverá "incluir recursos financeiros, tecnologia e legislação ambiental". "Será criada considerando, também, sugestões técnicas de entidades como Emater-RS, Secretaria de Agricultura, Fetag, Farsul, cooperativas e de agentes financeiros públicos e privados, responsáveis por linhas de crédito." Implementada na tarde desta segunda-feira, a subcomissão, presidida por Adolfo Brito (PP), conta com 10 deputados, além do relator.

"Convidamos todas as entidades interessadas a participarem do grupo e já estamos aceitando ideias", destaca Weber. A estiagem que assola as lavouras gaúchas desde novembro do ano passado é considerada a mais impactante desde 2005. "Alguns municípios já perderam 70% da soja e outras culturas", destaca Weber.

Ainda nesta segunda-feira, o deputado Edson Brum (MDB) tomou posse da presidência da Frente Parlamentar da Agropecuária Gaúcha (FPA). Citando o trabalho conjunto com a Comissão de Agricultura da Assembleia, Brum avaliou que o momento da agricultura no Estado "é desafiador", referindo-se à crise hídrica que afeta o campo gaúcho.

Ao denominar como "desesperadora" a situação dos produtores gaúchos penalizados com a seca, o presidente da Assembleia Legislativa, Ernani Polo (PP), destacou que o Estado e a União devem ter várias linhas de ação, procurando atender desde a falta de água para consumo até a renegociação de dívidas. "Nesta semana, já estão marcadas audiências em Brasília para tratar dessa questão", adianta Weber, que é vice-presidente da FPA.

Segundo o deputado, estão sendo colhidos dados junto à Fecoagro, à Emater-RS, à Farsul, entre outras entidades, para que possam ser apresentados ao governo federal, a fim de comprovar "a gravidade" da estiagem em solo gaúcho. A escassez de água para consumos humano e animal, com rios secando, colocou mais 130 municípios em situação de emergência no Estado.

Fonte : Jornal do Comércio