Agroindústrias de Bento Gonçalves tentam se reinventar

Reinvenção. Essa é uma das palavras que podem definir o atual momento. No caso das agroindústrias, isso não é diferente. De forma a manter a comercialização de seus produtos, os estabelecimentos de Bento Gonçalves, junto com entidades do setor e a prefeitura local, tem buscado novas alternativas para se manter no mercado.

Com 36 agroindústrias cadastradas no selo "Sabor de Bento", uma das ações desenvolvidas é o fornecimento de capacitações. Em uma parceria do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) do Rio Grande do Sul, com a secretaria municipal de Desenvolvimento da Agricultura uma qualiicação voltada as questões mercadológicas foi iniciada de forma remota, contando com a participação de 19 estabelecimentos certiicados. Os temas abordados são prototipagem de alimentos (criação de produtos), gestão visual (rótulo, marca e embalagem), programa "Mulheres do Agro" (comportamento, organização, controles e gestão), motivação, cooperativismo/associativismo e valor agregado aos produtos. Dentre as novidades está o desenvolvimento da plataforma de vendas online "Agro em Casa", em que as agroindústrias participantes do curso poderão expor e comercializar seus produtos. Seu lançamento está previsto para daqui a 10 dias. A proposta é coordenada pelo gestor de projeto do Sebrae, Aldoir Morais. "Esta iniciativa se materializa como um importante canal de venda, que usará a internet para se aproximar dos consumidores.

As 50 agroindústrias da Serra, sendo 20 de Bento, 20 de Caxias do Sul e 10 de Flores da Cunha estão trabalhando de forma colaborativa, formando cestas de produtos variados que serão oferecidos e entregues nas casas dos consumidores, com todos os cuidados necessários que este momento exige", conta.

No início, o foco é trabalhar no mercado regional, mas em breve o objetivo é atingir Porto Alegre com o produto. A consultora do Sebrae, Jacqueline Bellé. airma que pensar grande e agir de forma conjunta vai fazer as empresas familiares atravessarem o período desaiante e manter irme nossos propósitos de qualidade, segurança alimentar e inovação.

Outra alternativa encontrada por alguns produtores da agroindústria familiar é o atendimento por meio de encomendas via ligação ou WhatsApp.

Os interessados em adquirir os produtos devem entrar em contato com os números disponibilizados para combinar a forma de pagamento e como será feita a entrega. São opções de frutas, verduras, legumes, frutas, pães, bolos, geleias, massas, sucos, entre outros, que poderão ser recebidas diretamente nas residências dos munícipes.

Fonte: Jornal do Comércio