Agrogen incorpora o frigorífico Frango Seva

Empresa projeta faturamento de R$ 800 milhões e eleva capacidade de abate para 8 milhões de frangos por mês

Luiz Eduardo Kochhann

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO DA AGROGEN/DIVULGAÇÃOJC

Planta adquirida pela empresa gaúcha fica localizada no município de Pato Branco (PR)

Planta adquirida pela empresa gaúcha fica localizada no município de Pato Branco (PR)

A Agrogen, de Montenegro, anunciou a incorporação do frigorífico Frango Seva, de Pato Branco (PR), o que deve elevar seu faturamento para R$ 800 milhões em 2014. O valor é 28% maior do que a projeção anterior, de R$ 625 milhões. Com a nova planta, a empresa gaúcha aumenta sua capacidade de abate para oito milhões de frangos por mês, acréscimo de cerca de dois milhões. Além disso, o número de funcionários passa de dois mil para três mil. Os diretores da empresa preferiram não informar os valores envolvidos na transação.
O negócio está inserido no plano de expansão da companhia, especialmente no mercado interno das regiões Sul e Sudeste. Os passos iniciais foram dados em 2010 e 2012, com as aquisições de um frigorífico em Sete Lagoas (MG) e de outra unidade em Itapejara D´Oeste (PR), respectivamente. De acordo com o diretor administrativo, Gerson Müller, atualmente, 70% do faturamento da Agrogen é oriundo de exportações. Contudo, o objetivo é equilibrar as rendas internas e externas em 50% para cada uma. Agora, o sistema produtivo – granjas, incubatórios, laboratório, fábricas de ração e frigoríficos – é composto por 15 unidades no Rio Grande do Sul, Paraná e Minas Gerais.
“O Brasil é um grande consumidor de frango, e não podemos deixar esse mercado de lado. Com a incorporação da Frango Seva, teremos melhores condições de atender à região Sul e agregaremos um mix de produtos, com outros tipos de corte e embalagens, por exemplo”, resumiu Müller.  A intenção é especializar o trabalho das plantas: “Nossa meta é chegar a 10 milhões de abates de frango por mês nos próximos dois anos a partir de investimentos em rentabilização por meio de um desempenho técnico diferenciado”, afirma.
A planta de Pato Branco também deve ser habilitada para a venda ao mercado comum europeu, segundo Müller. “Estando em conformidade com as exigências europeias, poderemos atender, consequentemente, outros mercados importantes, como o Canadá e a África do Sul”, projeta. A Agrogen está prestes a completar 24 anos, atuando na multiplicação genética de matrizes de aves no Brasil e no setor de produtos frigoríficos à base de carne de frango com as marcas nat. Alimentos, lançada em 2009, e Avia, desde 2013, focada nas operações comerciais no exterior.

Fonte: Jornal do Comércio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *