Agro, um herói em meio à crise (Artigo)

Ao encontrar o que precisa nos mercados, o consumidor não imagina o esforço que há entre a produção e a gôndola na loja
Imagine enfrentar uma estiagem que traz prejuízos imensos a todos os tipos de culturas. Agora, junte a isso uma pandemia que amedronta o mundo e reduz drasticamente o consumo. Pois é este cenário que vivem os produtores gaúchos. Porém, se sobram problemas, sobram também trabalho e abnegação. Fatores que têm permitido que a população não sofra com o desabastecimento.As perdas chegam a 45% em cultivos como o da soja. Em relação ao milho e à maçã, a produção será 30% menor. Tudo isso agravado pela alta do dólar. Ao encontrar o que precisa nos mercados, o consumidor não imagina o esforço que há entre a produção e a gôndola na loja.

Cabe ao poder público, em tempos desafiadores, estar ao lado do produtor e adotar medidas para assegurar a continuidade de um setor vital como o agro. Na Secretaria Estadual da AgriculturaPecuária e Desenvolvimento Rural, atuamos em duas frentes: garantir que os produtos cheguem a quem consome, com segurança e prevenção; e dotar quem produz de condições para enfrentar a estiagem.

Caso esse trabalho não obtivesse sucesso, em dois dias não haveria mais vegetais à disposição. Por isso, o governador inclui o agro como serviço essencial durante a pandemia. Digitalizamos e desburocratizamos processos, dobramos o investimento no Programa Sementes Forrageiras, prorrogamos os prazos de pagamentos de contratos, perfuramos poços artesianos e liberamos recursos para irrigação.

Em auxílio às 3,6 mil agroindústrias – as primeiras a sentir os efeitos da crise -, flexibilizamos as áreas de venda e assinamos instrução normativa que permite a inserção dos produtores no mercado nacional. E, em parceria com entidades, conquistamos junto ao governo federal a renegociação dos custeios e investimentos e a abertura de linhas de crédito para produtores, cooperativas, cerealistas e agroindústrias.

agronegócio, que tantas vezes segurou a economia do Estado e do país, dá mais uma prova de heroísmo. Resiste bravamente para manter todos com o essencial para viver. Um trabalho muitas vezes esquecido, mas que é um orgulho para toda nossa gente. Produzir alimentos salva vidas.

 

COVATTI FILHO, Secretário da AgriculturaPecuária e Desenvolvimento Rural do Rio Grande do Sul covatti-filho@seapdr.rs.gov.br

Fonte: Zero Hora