AGRICULTURA – Milho: colheita no Rio Grande do Sul avança 11 pontos para 39% da área

Os trabalhos na soja estão na fase inicial, com relatos de algumas colheitas nas regiões da Fronteira Noroeste e Missões

agricultura-milho-goias (Foto: Emiliano Capozoli/Ed. Globo)Nas áreas colhidas de milho a produtividade está acima da inicialmente prevista (Foto: Emiliano Capozoli/Ed. Globo)

As boas condições climáticas, com predomínio de tempo seco, altas temperaturas e forte radiação solar, favoreceram à colheita do milho no Rio Grande do Sul. O avanço dos trabalhos foi de 11 pontos percentuais nesta semana, para 39% da área cultivada. O ritmo está 6 pontos à frente do colhido em meados de fevereiro do ano passado e 7 pontos adiantado em relação à média dos últimos cinco anos para o período.

Os dados constam do informe semanal de acompanhamento de safra elaborado pela Emater/RS-Ascar, órgão de assistência técnica e extensão rural do governo gaúcho. Os analistas observam que as lavouras em desenvolvimento vegetativo, floração e enchimento de grãos sofreram com a baixa umidade do solo. “A ocorrência de chuvas no início desta semana amenizou o problema; ainda assim, são necessárias chuvas semanais e mais volumosas para atender as necessidades diárias das plantas.”

Segundo eles, as lavouras colhidas apresentam produtividades elevadas. Os produtores estão satisfeitos com os rendimentos, de maneira geral. Os relatos de campo dão conta que nas áreas colhidas de milho a produtividade está acima da inicialmente prevista, que era em média de 6.807 quilos por hectare.

“O produto colhido é limpo e com menor necessidade de secagem”, dizem os técnicos. A maior parte das lavouras está em enchimento de grãos na região Serrana, onde a cultura é implantada mais tarde. Nas regiões da Fronteira Noroeste e Missões 71% estão colhidos. Na região Sul, a colheita foi realizada em 6% da área plantada.

O preço médio praticado nesta semana no mercado gaúcho ficou em R$ 32,48/saca, com aumento de 0,71% em relação à semana anterior. O valor está 9,2% acima do registrado na mesma época do ano passado e 5,5% abaixo da média de fevereiro nos últimos cinco anos.

O preço para o produto disponível em Cruz Alta é de R$ 37,00/saca. O preço de balcão em Passo Fundo é de R$ 32,00/saca. No Vale do Taquari o preço em média é de R$ 35,00/saca, sendo que a maioria dos produtores está depositando para vender mais tarde, aguardando melhores preços, segundo os analistas.

Soja
Apenas 2% da área de soja estão maduras ou por colher, mesmo nível da mesma época do ano passado e acima dos 1% dos últimos cinco anos no período. O levantamento de campo da Emater/RS constatou que 62% das lavouras estão em fase de enchimento de grãos, 26% em floração e 10% se encontra em desenvolvimento vegetativo, o que corresponde às áreas implantadas mais tarde.

Segundo os analistas, existem relatos de algumas colheitas nas regiões da Fronteira Noroeste e Missões. “A cultura está com bom desenvolvimento, e os rendimentos estão variando de 30 a 55 sacas por hectare nas primeiras áreas colhidas.”

O preço médio da soja nesta semana ficou em R$ 68,78/saca, em alta de 0,25% em relação à semana anterior. O valor está 2,1% abaixo do registrado na mesma época do ano passado e foi 16,2% menor que em fevereiro nos últimos cinco anos. O preço disponível em Cruz Alta foi de R$ 73,00/saca e em Passo Fundo de R$ 72,00/saca.

Arroz
O clima também favoreceu as lavouras de arroz, que está na fase de enchimento de grãos na maior parte das lavouras, chegando aos 42%. A colheita está na fase inicial na Fronteira Oeste e região Central, chegando aos 2% da área do Rio Grande do Sul, estimada em 693.538 hectares.

Nesta semana houve pequena queda nos preços recebidos pelos produtores gaúchos, caindo mais 0,28% em relação à semana passada, baixando para R$ 39,57/saca. O valor está 2% acima do registrado na mesma época do ano passado e 21% abaixo da média de fevereiro nos últimos cinco anos.

POR REDAÇÃO GLOBO RURAL

Fonte : GLOBO RURAL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *