AGRICULTURA – INDENIZAÇÕES – Ministro da Fazenda promete buscar recursos para pagar subvenção do seguro a fruticultores

Produtores de uva, maçã e frutas de caroço tiveram perdas severas no Sul do país por conta de geadas e pragas

VÍDEOS RELACIONADOS
Seguro: Levy estuda meio de auxiliar fruticultores
NOTÍCIAS RELACIONADAS
Governo diminui subvenção ao seguro rural em 2016
Kátia Abreu admite que não há dinheiro para o seguro rural
Em reunião com parlamentares e representantes de sindicados e associações de produtores nesta quinta-feira, dia 26, o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, prometeu buscar recursos em outras pastas para pagar a subvenção do seguro rural a fruticultores do Sul do país.

Os produtores de frutas da região tiveram perdas severas por problemas climáticos e ataque de pragas. Agora, dependem de indenizações das seguradoras para permanecer na atividade. O valor é estimado entre R$ 50 milhões e R$ 60 milhões, e a operação vai depender do aval da Casa Civil.

De acordo com o deputado Luis Carlos Heinze (PP-RS), que esteve presente na reunião, Levy teria se comprometido a levar adiante a proposta de “fazer um rapa no tacho” de outros ministérios e transferir recursos para o Ministério da Agricultura.

“O pedido está em torno de R$ 50 milhões, para ver se a gente consegue R$ 30 milhões, um valor que possa anteder neste momento [os produtores de] uva, maçã e frutas de caroço, que são os mais atingidos”, afirma Heinze.

Também haveria problemas em áreas de trigo, milho, soja e arroz no Rio Grande do Sul. “Mas são culturas que estão sendo plantadas; o que estamos buscando entender é quem já teve problemas”, diz o deputado.

Segundo o coordenador da Comissão Interestadual da Uva, Olir Schiavenin, produtores de uva tiveram mais de 50% de perdas na produção por conta de geada, granizo, fungos e pragas. “[O ministro] Demonstrou boa vontade e nós queremos acreditar que ele vá encontrar uma solução”.

Divulgação/Pixabay

Fonte: Canal Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *