AGRICULTURA – COMÉRCIO INTERNACIONAL – Exportadores pedem agilidade na fiscalização de frutas

Objetivo é garantir um crescimento anual de 15% nas vendas externas, cuja receita no ano passado alcançou o equivalente a US$ 630 milhões

NOTÍCIAS RELACIONADAS
Exportação brasileira de frutas pode alcançar US$ 1 bi ao ano até 2018
À bancada sulista, Kátia Abreu reforça cuidado com sanidade das frutas
A fiscalização das frutas brasileiras destinadas ao mercado externo ficará mais ágil e menos burocrática, disse a Ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Kátia Abreu, a Associação Brasileira dos Produtores e Exportadores de Frutas e Derivados (Abrafrutas), e a Comissão Nacional de Fruticultura da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA).

A ministra informou que o governo vai estudar com atenção as propostas do segmento para melhorar o modelo de fiscalização da qualidade das frutas destinadas ao mercado internacional. Um dos principais objetivos da Abrafrutas, segundo documento entregue recentemente ao presidente da CNA, João Martins, é garantir um crescimento anual de 15% nas vendas externas de frutas, cuja receita no ano passado alcançou o equivalente a US$ 630 milhões.

A Abrafrutas identificou que um dos principais problemas enfrentados pelo exportador é o reduzido número de fiscais do Mapa nos portos de embarque das frutas destinadas ao exterior.

Riscos e perdas financeiras

Pelo modelo em vigor, diz o presidente da Abrafrutas, em cada lote de frutas destinadas à exportação os fiscais abrem um contêiner para averiguar a qualidade do produto. "Essa abordagem, infelizmente, pode provocar danos e diminuir a qualidade das frutas por quebrar a cadeia de refrigeração, além de provocar custo extra no deslocamento de contêineres aos locais de averiguação das amostras de frutas”, destaca Luiz Roberto.

Uma alternativa para resolver o problema, ainda segundo a Abrafrutas, seria transferir a fiscalização dos portos para os locais de produção das frutas. Nesse caso, os fiscais poderiam realizar todo o processo nas fazendas, credenciando-as para exportar. A CNA lembra, a propósito, que todos os produtores exportadores de frutas já possuem certificados internacionais de qualidade e boas práticas agrícolas. A Ministra Kátia Abreu prometeu estudar a sugestão e dar uma resposta o mais rápido possível aos produtores.

Fonte : Canal Rural

Compartilhe!