Agricultor deve retomar mobilização

Fonte: Correio do Povo

Entidades ligadas à agricultura familiar gaúcha devem se reunir, na próxima semana, para traçar nova estratégia de mobilização na tentativa de resolver o endividamento setorial. Os pequenos produtores ainda não obtiveram retorno sobre a contraproposta encaminhada à presidente Dilma Rousseff ainda na Expointer, encerrada em 4 de setembro. No final de agosto, após protestos no Estado, o governo federal prometeu uma nova linha de crédito, de R$ 20 mil por agricultor, com juro de 2% ao ano e prazo para o pagamento de sete anos. Contudo, o plano foi rejeitado.
De acordo com o coordenador da Fetraf-Sul, Celso Ludwig, os agricultores querem um maior limite para o empréstimo e dilatação do prazo pagamento, além de um desconto no valor do refinanciamento.
Segundo o presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar do Rio Grande do Sul (Fetag/RS), Elton Weber, o governo sinalizou a intenção de reunir as entidades ainda nesta semana, mas, por enquanto, não houve confirmação. "Precisamos resolver essa questão o quanto antes, pois ela já está atrapalhando a liberação de crédito no Plano Safra." Conforme o coordenador do MPA, Plínio Simas, o prazo do governo é até amanhã. "Queremos ser ouvidos, pois a medida anunciada não resolve o problema: só o joga para frente."
A contraproposta na mesa do governo
Aumento do limite da operação de refinanciamento de R$ 20 mil para R$ 30 mil;
Ampliação do prazo de pagamento de sete para 13 anos, com três anos de carência;
Bônus de 46% (por parcela) da operação de refinanciamento,
desde que pago em dia;
Bônus de 46% (por parcela) do Crédito Emergencial, quando pago em dia;
Inclusão das operações de
Proger Familiar Rural;
Que todos os agricultores, adimplentes e ou inadimplentes sejam contemplados com as medidas.
Fonte: Fetraf-Sul

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *