Africanos participam de curso sobre produção sustentável de hortaliças no Brasil

Objetivo do curso, que tem promoção da Embrapa, é capacitar produtores para que estimulem o consumo de legumes e verduras em seus países de origem

Janaina Camelo | Brasília (DF)

Wllyssys Wolfgang

Foto: Wllyssys Wolfgang

Alunos são orientados sobre o processo produtivo da cadeita de hortaliça

Engenheiros agrônomos da África estão no Brasil para aprender técnicas sustentáveis para a produção de hortaliças. A ideia é que eles se capacitem e coloquem o aprendizado em prática em seus países de origem, onde o consumo de legumes e verduras é baixo devido à falta de tecnologia e de condições climáticas.
Eles vêm de Moçambique, São Tomé e Príncipe, Cabo Verde e Angola. Todos trabalham na área de extensão rural e participam do Curso Internacional sobre Produção Sustentável de Hortaliças. Por meio de aulas à distância, os alunos já tiveram acesso a conteúdos de agroecologia e das experiências bem sucedidas no Brasil. Agora, de forma presencial, aprendem sobre técnicas como irrigação, tipos de manejo do solo e meios de combate às pragas que não agridam o meio ambiente.
Os alunos passaram os últimos dias na Embrapa Hortaliças, no Distrito Federal. Nas aulas práticas, eles foram orientados sobre todo o processo produtivo da cadeita de hortaliça, com foco na sustentabilidade. No final, cada país representado desenvolverá um projeto de cultivo de hortaliças, que poderá ser financiado pela organização do curso.
– No módulo à distancia eles apresentam um projeto inicial com as características dos países, os problemas da agricultura, no caso, das hortaliças. O grande objetivo é treinar os profissionais da África para que eles possam levar conhecimento para seus países de origem –  explica o pesquisador da Embrapa Jadir Pinheiro.
Os engenheiros agrônomos Franklin Miguel e Ekzul Nascimento trabalham para o governo de Angola e das ilhas de São Tomé e Príncipe, países que têm como meta aumentar a produção e o consumo de hortaliças. O clima na região, que fica entre o centro sul e o sul da África, é caracterizado por um verão quente e chuvoso.
– Uma das dificuldades que os agricultores também enfrentam é o tempo. Muita chuva torna mais difícil a produção de hortaliças e faz com que o mercado diminua a produção e aumente o preço consideravelmente. Essa troca de experiência vai levar novos conhecimentos e inovar a produção de hortaliças no país – diz Nascimento.
Franklin Miguel aposta em um projeto de estufa sustentável, que espera colocar em prática na Província de Luanda, capital da Angola.
– Quando melhorarmos o solo, tivermos estufa, fizermos grandes estudos para criarmos boas irrigações, então, teremos muita oferta de hortaliças no mercado. Quando tivermos muita oferta, os preços ficarão mais baixos e haverá mais consumo – afirma Miguel.
O Curso Internacional sobre Produção Sustentável de Hortaliças é organizado pela Embrapa, Agência Brasileira de Cooperação do Ministério das Relações Exteriores e Agência Japonesa de Cooperação Internacional. De acordo com o pesquisador Juscimar da Silva, coordenador do curso, o processo iniciou em fevereiro quando foram abertas 60 vagas para o módulo de Educação a Distância para países africanos de língua portuguesa, sendo destinadas 20 para Moçambique, 20 para Angola, 10 para Cabo Verde e 10 para São Tomé e Príncipe. Dos 60 participantes, foram selecionados 20 para o módulo presencial.
>> Leia mais notícias sobre hortaliças
>>  Conheça um guia para o cultivo de 50 espécies de hortaliças

CANAL RURAL

Fonte: Ruralbr

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *