Ad’oro, de SP, sai da recuperação judicial

Três anos e meio após pedir recuperação judicial por uma dívida de R$ 140 milhões, a indústria de carne de frango Ad’oro, que tem sede em Várzea Paulista (SP), conseguiu superar a situação.

Na semana passada, a juíza Erica Midori Sanda, da 1ª Vara da Comarca de Várzea Paulista, acolheu o pedido da empresa para sair do processo de recuperação. "Declaro que o plano de recuperação judicial foi cumprido e, por consequência, decreto o encerramento da recuperação", decidiu a juíza, em sentença em 11 de novembro.

Pelos termos da lei, uma companhia pode deixar a condição de recuperanda dois anos após a aprovação de seu plano de recuperação judicial, se ele tiver sido cumprido. O plano da Ad’oro foi aprovado pelos credores em fevereiro de 2013 e estabeleceu, além de um ano e meio de carência, 12 anos para o total pagamento das dívidas.

"A recuperação foi um sucesso e a empresa volta à vida normal", disse o advogado Júlio Mandel, da Mandel Advocacia, que representa a Ad’oro. Fundada em 1989 pela família Lutfalla, a Ad’oro informa em seu site ter três unidades – um centro de processamento e distribuição em Várzea Paulista, uma fábrica de ração em São Carlos e um incubatório em Rio Claro.

Por Luiz Henrique Mendes | De São Paulo
Fonte : Valor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *