Acre – PRODUTORA RURAL, ORGULHO NACIONAL: Produtora relata como o apoio do Senar – AC trouxe independência financeira

Para Francisca Souza, moradora do município de Porto Acre, o contato com a produção leiteira começou há 28 anos, quando ela era apenas uma adolescente de 15 anos de idade e residia em uma fazenda com seus familiares.

“Não quero parar de buscar novos conhecimentos e oportunidades”, afirmou Francisca. Foto: ASCOM/SENAR – AC

Atualmente com 43 anos, a produtora rural é um dos exemplos de perseverança que permeiam as comunidades rurais do Acre. Moradora do Ramal do Caquetá, ela trabalha com a produção de leite e seus derivados, que são vendidos posteriormente em Rio Branco e outras localidades próximas. E mesmo com a estabilidade financeira, ela afirma: “Não quero parar de buscar novos conhecimentos e oportunidades.”

ENCONTRO COM O SENAR

Ao sair da fazenda onde residia originalmente, Francisca comprou a terra onde mora com o filho, que também ajuda na produção leiteira. Mesmo trabalhando com a cadeia produtiva do leite, foi apenas em 2013 que os horizontes profissionais começaram a se expandir, quando a produtora rural participou do curso de Derivados do Leite, ofertado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar – Acre).

Requeijão e outros derivados do leite são feitos e vendidos pela produtora rural. Foto: ASCOM/SENAR – AC

“Acho que o Senar e eu nos encontramos no momento certo. Faço parte da Associação Sonho Meu, e ela tem muito contato com o Senar, pois a presidente da associação se preocupa com o bem estar dos associados, procura ofertas para a comunidade… Foi então que, em determinada época, começamos a nos interessar e a participar cada vez mais. O primeiro curso foi o de Derivados do Leite, em 2013, e me reanimou a trabalhar com estas produções”, destacou Francisca.

Em 2018, ela também participou de outro curso de Derivados do Leite ofertado pelo Senar acreano, e agora, a variedade de produção chega a 10 tipos diferentes de produtos.

Francisca e funcionário do Senar – Acre durante visita à propriedade. Foto: ASCOM/SENAR – AC

“Com o aprendizado de ambos, conquisto minha renda e aprendo a gerenciar cada vez mais minha propriedade. Em alguns dias eu chego a trabalhar até 23h, e já consegui fazer até 10 produtos diferentes em um só dia”, relatou.

GESTÃO

Dentro da propriedade, Francisca cuida de 40 vacas, e explica que todo o leite é tirado manualmente, e que a quantidade da ordenha pode chegar a mais de 100 litros.

Estabilidade financeira da produtora rural se dá através da fabricação e da venda dos derivados do leite. Foto: ASCOM/SENAR – AC

“Nada é desperdiçado. O leite é um produto riquíssimo, e pode ser transformado em uma infinidade de outras formas para consumo. Doces, manteiga, queijo, iogurte, requeijão… Tem para todos os gostos”, destacou.

"O leite é um produto riquíssimo, e pode ser transformado em uma infinidade de outras formas para consumo", disse Francisca. Foto: ASCOM/SENAR – AC

Francisca também afirmou que, graças ao apoio do Senar – AC e da associação, a palavra “gestão” adquiriu um novo significado: “O Senar fez toda a diferença na minha vida financeira. Quero sempre melhorar mais, os cursos e a associação foram fundamentais para isso. Antes de participar dessas atividades, eu ouvia muito a palavra ‘gestão’, porém não fazia ideia do que fosse. E agora sei que sou uma gestora, e que aprendo mais a cada

Fonte : CNA

Compartilhe!