Acordo do país com a China favorece empresa

Na esteira do tratado de livre comércio assinado na semana passada por China e Austrália, a aquisição da australiana Primo Smallgoods pela JBS é encarada pela empresa brasileira como uma grande oportunidade para impulsionar as exportações de produtos de maior valor agregado para a Ásia, notadamente para o mercado chinês.

"Estamos montando uma plataforma na Austrália que é única. Vemos uma tremenda oportunidade para vender os produtos da Primo na Coreia, em Cingapura e na China", disse Wesley Batista, CEO da JBS, em teleconferência com analistas na sexta-feira sobre as aquisições da empresa australiana e da paranaense Big Frango. Ambas ainda dependem do aval de órgãos reguladores.

Segundo Batista, a Primo pode dobrar a produção de processados como bacon, linguiças e salsichas sem a necessidade de investimentos significativos. "A empresa tem capacidade para produzir o dobro", disse, citando uma "grande" fábrica que a Primo inaugurou há dois anos, em Brisbane, Estado de Queensland.

Com faturamento estimado em 1,6 bilhão de dólares australianos (US$ 1,38 bilhão) no exercício 2015, iniciado em julho, a Primo levará o faturamento anual da subsidiária JBS Austrália a superar 6 bilhões de dólares australianos (US$ 5,17 bilhões). O faturamento global da JBS é de cerca de US$ 50 bilhões por ano.

Forte no mercado de processado e com margem de cerca de 10%, a Primo tem mais de 50% de participação no varejo de Austrália e Nova Zelândia, segundo Batista. A empresa tem cinco unidades de produção nos dois países, que representam cerca de 90% de suas vendas. Apenas 10% do faturamento vem de exportações, fatia que tende a crescer com o plano de elevar as vendas à Ásia.

Além do tratado de livre comércio entre China e Austrália, a forte participação da JBS nas exportações australianas totais de carne bovina é um trunfo da empresa para impulsionar os embarques da Primo, que poderão aproveitar a estrutura já existente. "Talvez a maior sinergia seja a posição estratégica para servir o mercado asiático", disse Batista. Ele lembrou que o cálculo de US$ 30 milhões em sinergias anunciado pela JBS não contempla esse potencial.

Do ponto de vista financeiro, as aquisições de Primo e Big Frango – por US$ 1,25 bilhão e R$ 430 milhões, respectivamente – não deverão ter impacto expressivo no índice de alavancagem (relação entre dívida líquida e Ebitda em dose meses) da JBS. "Iríamos para 2,75 vezes. Porém, estimamos que vamos terminar o quarto trimestre deste ano, mesmo com as aquisições, com 2,5 vezes", disse Batista.

© 2000 – 2014. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.
Leia mais em:

http://www.valor.com.br/agro/3790142/acordo-do-pais-com-china-favorece-empresa#ixzz3Jz8FQmep

Fonte: Valor | Por Luiz Henrique Mendes | De São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *