Acesso ao crédito ampliado

Pelo menos 32 mil agricultores familiares gaúchos que estavam excluídos do crédito oficial poderão ter acesso ao benefício a partir deste ano. Esta é a estimativa da Fetag e Fetraf-Sul frente à alteração no cálculo da renda familiar anual para Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP), que deve ser aprovada este mês pelo Conselho Monetário Nacional. Como o Estado possui 323.828 DAPs válidas, as federações calculam que o número de registros pode aumentar, no mínimo, em 10%. Atualmente, o Manual do Crédito Rural (MCR) permite que apenas 30% da receita obtida pelos produtores seja proveniente de atividades não agrícolas. Segundo o diretor do Departamento de Financiamento e Proteção da Produção da a Secretaria de Agricultura Familiar do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), João Luiz Guadagnin, com a modificação, esse percentual será elevado para 50%. Contudo, o valor somente será somado à renda do campo se um dos membros da família receber salário superior a R$ 10 mil.

Para o coordenador da Fetraf-Sul, Celso Ludwig, a mudança significa a correção de uma injustiça, pois a realidade atual do campo é a pluriatividade. "Esses agricultores acabam pegando o custeio no comércio, sem amparo nenhum de seguro e políticas públicas." O presidente da Fetag, Elton Weber, também avalia positivamente a medida. "É importante que haja esse mecanismo, pois é cada vez mais comum filhos ou até a esposa do agricultor trabalharem fora."

Quem aguarda ansiosamente pela modificação é o agricultor de Não-Me-Toque Michel Dal Pizzol. Como sua esposa trabalha em um banco e a renda dela equivale à metade da receita familiar, o produtor tem que buscar o custeio das lavouras de milho e de soja na cooperativa. Nesta safra, devido à estiagem, o lucro com os sete hectares do cereal será anulado. Ele esperava colher 150 sacas por ha, mas este número não deve passar de 60, que é justamente a quantidade devida à cooperativa pelo fornecimento de insumos. "Espero poder plantar com mais tranquilidade na próxima safra."

Fonte : Correio do Povo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.