Abics: exportação de café solúvel deve cair 13% em 2017 e voltar ao nível de 2010

A queda se deve à escassez na oferta do grão da variedade robusta (conilon) entre os meses de setembro de 2016 e março de 2017

cafe-xicara (Foto: Creative Commons)

A falta de matéria-prima fez com que o café solúvel tivesse fortes elevações de preço e descolasse do valor dos concorrentes (Foto: Creative Commons)

A exportação de café solúvel deve recuar 13% em 2017, estima a Associação Brasileira de Café Solúvel (Abics), com base no desempenho dos embarques do ano até outubro. Caso as expectativas se confirmem, as vendas externas retornarão ao nível de 2010, quando foram exportadas 3.362.480 sacas de 60 kg do produto, informa a associação, em relatório antecipado ao Broadcast Agro, referente ao mês de novembro.

A queda nos embarques é resultado, entre outros fatores, da escassez na oferta do grão da variedade robusta (conilon), entre os meses de setembro de 2016 e março de 2017, que levou à perda de market share do Brasil no mercado internacional.

A falta de matéria-prima fez com que o café solúvel tivesse fortes elevações de preço e descolasse do valor dos concorrentes. A perda de competitividade deixou o caminho aberto para que outros fornecedores ocupassem as lacunas deixadas pelo Brasil entre os compradores globais.

"Embora a oferta de matéria-prima tenha se equilibrado graças à safra atual do conilon, mesmo que abaixo da média dos últimos anos, houve menor pressão na demanda por causa da menor utilização de robusta nos blends da indústria de torrefação. Após a baixa nos embarques, não se projeta um cenário de recuperação dos mercados perdidos nas exportações de solúvel no curto prazo", informa a Abics no relatório.

Países como Malásia, China, Coreia do Sul, Filipinas e Índia foram os mais beneficiados com a desaceleração das exportações brasileiras, favorecidos pelo crescimento médio de 6% ao ano no consumo de café solúvel na Ásia, enquanto o mundo cresce cerca de 3,2% anualmente, relata a Abics, com dados da consultoria LMC.

De janeiro a outubro, as exportações de café solúvel e extratos totalizaram 2.803.495 sacas, volume 12,5% inferior ao resultado do mesmo período de 2016, quando foi registrado o recorde histórico de 3.204.822 sacas embarcadas.

POR ESTADÃO CONTEÚDO

Fonte : Globo Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *