A agricultores, Dilma promete acelerar reforma agrária, ‘com terras de qualidade’

"Nunca prometo o que não faço", diz presidente em evento da Contag

BRASÍLIA A presidente Dilma Rousseff prometeu ontem à noite, no congresso da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), acelerar o processo de reforma agrária e distribuir terras de qualidade para que o assentados possam produzir. Sob aplausos, a presidente disse ainda que os assentados serão cadastrados para ter acesso aos programas sociais do governo como Bolsa Família, Água para Todos, Luz para Todos e Minha Casa Minha Vida.

– Nunca prometo o que não faço – afirmou a presidente. -Vou acelerar a reforma agrária, mas com terra de qualidade.

No último domingo, O GLOBO revelou que o Bolsa Família sustenta um em cada três assentados, que não conseguem viver da produção dos lotes distribuídos pelo governo. Segundo dados do governo, 339 mil famílias assentadas recebem o Bolsa Família e outras 126 mil recebem outros benefícios do governo.

R$ 18 bilhões para safra

A presidente disse que o governo, além de distribuir terras, vai oferecer programas de assistência técnica e de aquisição da produção da agricultura familiar para desenvolver o setor. Dilma afirmou que não quer mais ouvir da ministra do Desenvolvimento Social, Tereza Campello, presente no evento, que o nível de miséria no campo é alto. Repetiu que não faltará dinheiro para a agricultura familiar – o governo destinou R$ 18 bilhões para a safra 2012/2013.

– Esse é o dinheiro mais bem empregado – afirmou a presidente, argumentando que 70% dos alimentos na mesa dos brasileiros são produzidos pela agricultura familiar.

A presidente, que discursou por 62 minutos, prometeu ampliar o crédito para a agricultura familiar. Disse que será criada uma agência para esse fim, mas não deu prazo nem detalhes do órgão. Ela destacou dois programas de incentivo à agricultura familiar: o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e o Plano Nacional de Alimentação Escolar (PNAE).

– Onde houve apoio efetivo, a agricultura se superou – disse a presidente, acrescentando que os trabalhadores rurais precisam ter garantia de que sua produção terá mercado.

Dilma disse que o governo vai oferecer aos trabalhadores rurais educação e creche, além de apoiar o combate à violência no campo e a luta por melhores condições de vida.

No discurso, ela respondeu a críticas de que os programas sociais do governo são assistencialistas e distribuem esmola:

– Isso não é igual a bolsa esmola, isso é um direito do povo brasileiro.

Fonte: O Globo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *