4ª Fenagro trará taxa zero para o agricultor

Fonte: TRIBUNA DA BAHIA – BA  | Alessandra Nascimento REPÓRTER

Considerada a maior feira agropecuária do Norte / Nordeste, a 24ª Feira Nacional de Agropecuária, Fenagro, vai movimentar R$ 100 milhões. A Feira, que acontece de 26 a 4 de dezembro, no Parque de Exposições, ilustra o peso do agronegócio estadual, que responde por 24% do PIB baiano, é responsável por 30% dos empregos gerados no Estado e responde por 40% das exportações da Bahia.

Segundo o secretário de agricultura do estado da Bahia, Eduardo Salles, a edição deste ano vai contemplar a valorização do homem do campo. "É nossa intenção mostrar às crianças como é feito um queijo, o chocolate.

Mostraremos 27 cadeias produtivas. Valorizar o campo é também minimizar o exôdo rural que traz como agravantes a violencia e o descontrole nas grandes cidades", ressalta. Ele lembra que durante a Fenagro acontecerá simultaneamente a 2ª Feira Estadual de AGRICULTURA FAMILIAR e serão realizados 24 leilões de animais. "Meu gabinete será transferido para a Fenagro durante a realização do evento. Serão 800 expositores com mais de 6 mil animais", cita.

Também estão previstas as presenças dos ministros Afonso Florense, do Desenvolvimento Agrário, e Mario Negromonte, das Cidades. O governador Jaques Wagner também participa da Fenagro. Salles ressaltou que também acontece o financiamento para os agricultores com taxa zerada de juros.

"Isso será possivel com o Programa Mais Alimento do Governo Federal. Os agricultores podem solicitar incentivos, mas pagam, em geral, taxa de 2% de juros. Aqui na Bahia será dado taxa de juros zerada. É nossa intenção criar ferramentas para que o homem do campo possa adquirir maquinário para a sua lavoura a valores diferenciados", ressalta. Salles lembra que o estado possui a maior diversidade na produção agrícola e um dos maiores rebanhos do país.

Abate clandestino ainda é um desafio a ser vencido no estado

O presidente da Associação de Criadores de Caprinos e Ovinos da Bahia, Accoba, Almir Lins, destacou como desafio o fim do abate clandestino no Estado. "A Feira é uma excelente oportunidade para discutirmos também sobre essa questão. Cerca de 90% do abate de caprinos e ovinos no estado é feito de modo clandestino. É preciso trabalhar essa questão", afirna.

Ele destaca que devem passar mais de 200 mil pessoas nos dias do evento e acredita que os numeros de 2011 superem em 50% o ano anterior. "Estamos divulgando mais.

Ano passado a Feira gerou R$ 70 milhões em negócios e neste ano será de R$ 100 milhões. Os ingressos custam R$ 5 e crianças de até doze anos não pagam. Estudantes de veterinária também estão isentos de pagar os ingressos", cita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *