14 DIAS NO RIO PARANÁ – Soja: navios da Europa são obrigados a fazer quarentena para atracar na Argentina

Segundo informações de uma consultoria argentina, os barcos estão sendo impedidos de atracar no porto de Rosário para carregar óleo e farinha de soja

Navio de soja sobre o Rio Paraná, em Rosário, na Argentina. Foto: Daniel Popov

Navios vindos da Europa para carregar soja na Argentina não estão podendo atracar no porto de Rosário, um dos principais da país, como medida preventiva contra o avanço do coronavírus. As informações foram confirmadas pelo diretor da consultoria argentina Globaltecnos, Sebastian Gavaldá.

“O governo enviou uma explicação dizendo que navios vindos do exterior podem entrar e carregar, normalmente. Entretanto os navios de farinha e óleo que chegam na Europa têm que ficar 14 dias de quarentena, para evitar a proliferação do coronavírus”, diz.

Segundo ele, essa medida não atrapalhará apenas o fluxo dos navios no Rio Paraná, onde estão aguardando a autorização para atracar, mas também atrasará os embarques dos produtos. “Isso deve atrasar tudo, afinal a demanda por nosso produto existe, mas não pode ser atendida. Esses 14 dias podem se tornar facilmente 1 mês de atraso nos embarques de soja”, afirma Gavaldá.

Vale ressaltar que o porto de Rosário é um dos centros de exportação de grãos da Argentina e o atraso pode complicar a vida do país em um momento de colheita, como agora.

Por Daniel Popov, de São Paulo

Fonte : Canal Rural