BNDES anuncia R$ 55 bilhões para conter crise

Em novo pacote, crédito para micro, médias e pequenas empresas foi ampliado de R$ 10 milhões para R$ 70 milhõesO Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou, neste domingo, a injeção de R$ 55 bilhões na economia para reforçar o caixa das empresas e apoiar trabalhadores em meio à pandemia do coronavírus. O banco determinou a transferência de recursos do Fundo PIS-Pasep para o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), no valor de R$ 20 bilhões, a fim de possibilitar o saque extraordinário dos trabalhadores.

Também decidiu pela suspensão temporária do pagamento de parcelas de financiamento diretos para empresas no valor de R$ 19 bilhões, e de R$ 11 bilhões para financiamentos indiretos.

O prazo total do crédito será mantido e não haverá a incidência de juros de mora durante o período de suspensão, informou o banco em nota.

O BNDES anunciou, ainda, a ampliação do crédito para micro, pequenas e médias empresas (MPMEs) de R$ 10 milhões para R$ 70 milhões, buscando aumentar a capacidade de capital de giro do segmento. Os empréstimos terão carência de 24 meses e prazo de cinco anos para pagamento.

“Dessa forma, o BNDES oferecerá crédito rápido, ágil e flexível para as empresas de todos os portes, por meio da rede de atendimento de seus agentes financeiros credenciados, contribuindo para a manutenção de empregos. Essa medida deverá oferecer pelo menos R$ 5 bilhões em apoio rápido do banco às MPMEs, as empresas que mais empregam no País”, informou o banco. Segundo a nota, o banco continuará acompanhando a evolução do cenário e poderá tomar novas medidas, se necessário.

O presidente do banco, Gustavo Montezano, disse, em entrevista transmitida pelo YouTube, que as medidas são apenas um primeiro passo e que novas ações para ajudar a economia a atravessar a pandemia do coronavírus estão sendo estudadas.

“Nessas últimas duas semanas, a gente se preparou, se ajustou e definiu nossa estratégia, que começa hoje a implementar.

Hoje, a gente está dando o primeiro passo nessa jornada que o banco adentra junto com a população brasileira no enfrentamento dessa crise”, afirmou Montezano.

As primeiras medidas foram classificadas por ele como transversais, que abarcam todos os setores da economia que estão presentes na carteira de crédito do banco e nos cidadãos via FGTS.

A partir desta segunda-feira, anunciou, começarão a ser tomadas medidas setoriais, em concordância com o governo federal.

“Nós somos um time, o BNDES é um braço operacional do governo federal, e tudo o que decidimos é feito em coordenação com os ministérios da Presidência”, explicou. “Isso aqui (a crise do coronavírus) é algo novo, é algo diferente, então as soluções não devem ser comparadas àquelas utilizadas em crises financeiras do passado”, completou. Ele afirmou que o tempo de duração das medidas será enquanto a crise perdurar.

Fonte: Jornal do Comércio