Volume de negócios fica estável

APESAR DO BOM TEMPO e de público maior, faturamento dos cinco primeiros dias da feira mantém patamar do ano passado

Principal motor de todas as feiras, o setor de máquinas e implementos agrícolas segue o mesmo ritmo do ano passado nas propostas de financiamento na 37ª Expointer. Com tempo ensolarado e visitações superando em 61% as do ano passado, os negócios poderiam ter dado um salto maior, embora a expectativa de negócios para o ano fosse de cautela. Um balanço do Sindicato das Indústrias de Máquinas e Implementos Agrícolas do Rio Grande do Sul (Simers) aponta propostas de R$ 1,185 bilhão nos cinco dias de feira. No mesmo período de 2013, o montante da primeira metade da feira atingira R$ 1,113 bilhão, mesmo sob excesso de chuva e com menos visitantes no parque. Visto como um ano extraordinário pelo Simers, 2013 fechou com pedidos de R$ 3,274 bilhões.
– Tivemos uma conjuntura que proporcionou um ano excepcional. Neste 2014, o cenário econômico não é tão favorável. Vamos aguardar os próximos dias de Expointer, mas avalio que não chegaremos a R$ 3 bilhões – comenta o presidente do Simers, Claudio Bier.
A cautela apareceu no primeiro dia da exposição, quando a entidade comunicou a expectativa moderada. Ontem, os bancos evitaram divulgar números parciais das intenções de financiamentos. O Sicredi observa uma diminuição das intenções, mas entende que as negociações estão dentro da expectativa. Até as 17h35min de ontem, a instituição havia protocolado 1.070 pedidos de financiamentos, ultrapassando R$ 102,10 milhões.
Entre as linhas de crédito oferecidas, os mais procurados foram o Programa Nacional de Desenvolvimento da Agricultura Familiar (Pronaf), com 744 pedidos de financiamento, e o PSI (geral e rural), com 276 protocolos.
leticia.costa@zerohora.com.br

LETÍCIA COSTA

MULTIMÍDIA

 

Fonte: Zero Hora