.........

Vigor receberá propostas de compra a partir desta semana

.........

A apresentação de propostas preliminares por eventuais interessados em comprar a Vigor Alimentos deve ocorrer a partir desta semana, segundo fontes do mercado. Entre as empresas que podem apresentar ofertas pela companhia de lácteos controlada pela J&F estão as francesas Lactalis e Danone, além da canadense Saputo e da mexicana Lala.

No primeiro trimestre, antes da divulgação da delação premiada dos controladores da J&F, Joesley e Wesley Batista, a americana PepsiCo chegou a propor R$ 6 bilhões pela Vigor, mas as negociações não avançaram. Na época, a empresa de lácteos, que faturou R$ 6 bilhões em 2016, negava estar à venda. A expectativa, agora, é que o valor das ofertas pela Vigor seja inferior ao proposto pela PepsiCo.

Segundo fonte do setor financeiro ouvida pelo Valor, Bradesco e Santander, os bancos contratados pela J&F para vender a Vigor, contataram várias empresas do segmento de lácteos – inclusive a dinamarquesa Arla Foods, que já tem participação de 8% no capital da Vigor – além de fundos e investidores estratégicos, para avaliar se tinham interesse em participar do processo competitivo de aquisição da companhia de lácteos.

Procurada, a J&F disse que não iria comentar o assunto. Também procurada pela reportagem, a Lactalis informou que não comentaria. Por meio de sua área de relações com investidores, a Saputo respondeu que "não comenta rumores". A Danone também disse que "não comenta rumores de mercado". A Lala não se pronunciou até o fechamento da edição.

O fato de a J&F estar em busca de recursos para pagar dívidas, uma vez que viu o crédito secar após a delação, deixa a holding mais frágil nas negociações com eventuais interessados na Vigor, o que deve influenciar o valor das ofertas. Afora isso, interessados têm se queixado de que a Vigor não tem aberto muitas informações fiscais, de acordo com a mesma fonte.

Como ocorre em operações desse tipo, depois de receber as propostas preliminares não vinculantes, a J&F deve selecionar as melhores e permitir que os ofertantes acessem um "data room" da Vigor. Depois disso, deve solicitar as propostas vinculantes e então definir se dará exclusividade à maior delas ou se irá negociar com mais de um interessado.

A expectativa no mercado é que os principais players do setor de lácteos apresentem proposta pela Vigor – ou por parte dela -, uma vez que a empresa tem marcas fortes e é líder em categorias, como o iogurte grego, por exemplo, no país. Isso faz dela um ativo atraente. A Lactalis, que há quase três anos comprou ativos da LBR e a área da lácteos da BRF, seria a candidata mais provável, conforme fontes do setor.

A canadense Saputo e a mexicana Lala já sinalizaram interesse em entrar no mercado brasileiro no passado, mas não avançaram. A Lactalis, que tem feito várias aquisições pelo mundo, aparece em primeiro na lista de apostas do mercado, até por seu perfil mais agressivo.

No entanto, há dificuldades numa operação com a Vigor. Além do envolvimento da controladora da J&F em casos de corrupção admitidos pelos irmãos Batista, comprar a Vigor significa também adquirir sua participação de 50% na sociedade com a Cooperativa Central dos Produtores Rurais de Minas Gerais (CCPR) na Itambé, o que torna a operação mais complexa.

  • Por Alda do Amaral Rocha | De São Paulo
  • Fonte : Valor