Valorização do dólar faz produtores do Rio Grande do Sul anteciparem venda de soja

Fonte: Ruralbr

Sojicultores já negociaram entre 15% e 20% do grão que será colhido somente no próximo ano

Vagner Machado

Terceiro maior produtor de soja do Brasil, o Rio Grande do Sul presencia uma mudança no comportamento dos produtores. Influenciados pela recente guinada do dólar, os sojicultores já negociaram entre 15% e 20% da soja que será colhida somente no próximo ano.

Segundo estimativa da Safras & Mercado, 1,725 milhão de toneladas já foi comercializada. A Brasoja estima um percentual de 20%. Uma situação bem diferente do mesmo período do ano passado, quando apenas 7% da safra já havia sido vendida.

– A Bolsa de Mercadorias de Chicago estava pagando valores atrativos e as vendas foram muito maiores este ano – diz o diretor de produção da Safras & Mercado, Flávio França Júnior.

Baseado no bom momento do câmbio – apesar de essa quarta, dia 28, o grão ter fechado em queda –, o agricultor Vitor De Conti, de Santa Rosa, comercializou quase a metade da soja, antes mesmo de plantar. Nos 300 hectares da propriedade, 45% já estão comprometidos.

– Consegui R$ 50 para a saca do grão que ainda nem plantei. Achei vantajoso já que só vendi o que tenho certeza que colherei em 2012, mesmo que o tempo não colabore – resume De Conti, que já vendeu 7,5 mil sacas antecipadas e com o dinheiro pagará o financiamento bancário.

O agricultor relata que os preços valorizados no mercado e o medo de uma nova crise financeira foram os motivadores, opinião compartilhada pelo consultor de agronegócio Carlos Cogo. Segundo o especialista, a venda antecipada – geralmente usada para exportação – não é uma cultura gaúcha, ao contrário de Mato Grosso, onde a pratica atinge 50% da produção.

ZERO HORA