.........

Vaivém – Venda cresce, e estoque da indústria de máquina agrícola está ajustado

.........

CANARANA, MT, 04.04.2017: AGRICULTURA-MT - Colheita de soja em Canarana (MT). (Foto: Mauro Zafalon/Folhapress)

Colheita de soja em Canarana (MT)

Após a intensa queda de vendas de máquinas agrícolas há dois anos, as indústrias repensaram a forma de produção. Ajustaram a produção às vendas, evitando carregar estoques elevados.

A estratégia deu certo. A produção continua com bom desempenho neste ano, superando em 20% a de igual período de 2016, mas os estoques são pequenos.

Foram produzidos 35 mil tratores neste ano, 20% mais do que de janeiro a setembro de 2016. As vendas internas no atacado e as exportações já somam, todavia, 34,9 mil unidades. O setor tem atualmente poucas unidades não comercializadas.

O mesmo ocorre com as colheitadeiras, cuja produção atingiu 3.859 unidades neste ano. Vendas a concessionárias e exportações somam 3.461.

Essa estratégia de trabalhar com estoques mínimos e controlados exige uma atenção redobrada da indústria. Se houver uma recuperação rápida do mercado, o setor terá dificuldade para repor produto.

Além de olhar para o mercado brasileiro, a indústria tem de atender Argentina, Peru, Colômbia e Paraguai. O Brasil vem de uma supersafra de grãos, produção que poderá se repetir em 2018. E a expansão da produção ocorre também nos países vizinhos, que cada vez mais demandam máquinas.

A indústria brasileira obtém um aumento paulatino nas exportações. Neste ano, as vendas externas de máquinas agrícolas já superam em 39% as de igual período do ano passado.

Bom para os trabalhadores do setor, uma vez que o quadro de funcionários do segmento supera em 18% o de setembro de 2016, conforme dados divulgados nesta quinta-feira (5) pela Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores).

A produção acumulada de tratores supera em 11% a de igual período de 2016, e a de colheitadeiras, em 3%. Já a de colhedora de cana tem queda de 18%.

*

Grãos – A produção de cereais da União Europeia será de 301 milhões de toneladas neste ano, 1,3% acima da de 2016. Apesar do crescimento, fica abaixo dos 331 milhões atingidos em 2014.

Destaque – O trigo é o maior destaque na produção, atingindo 142 milhões de toneladas. Milho vem a seguir com 59 milhões.

França – A liderança na produção de grãos é da França, cujo montante será de 68 milhões de toneladas. A Alemanha, segundo maior produtor, terá 46 milhões.

Oleaginosas – A União Europeia deverá produzir ainda 40 milhões de toneladas de oleaginosas, bem acima dos 31 milhões de 2016.

Alta – Os preços dos grãos se recuperaram no mês passado, devido às perspectivas de estoques menores, segundo dados do Usda (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos).

Limites – A paridade entre estoques e consumo, porém, continua elevada, o que deverá limitar um avanço adicional dos preços, segundo analistas do Itaú

Por Mauro Zafalon

Vaivém das Commodities

Mauro Zafalon é jornalista e, em duas passagens pela Folha, soma 40 anos de jornal. Escreve sobre commodities e pecuária. Escreve de terça a sábado.

Fonte : Folha