.........

Vaivém: Valor da produção de frango recua em 2015

.........

A pecuária está sendo o destaque nacional, com crescimento previsto de 9,8%, no VBP (Valor Bruto de Produção) deste ano. O ritmo acelerado deste setor fará com que o VBP do país suba para R$ 461 bilhões.

A avaliação é do Ministério da Agricultura, que aponta, no entanto, um recuo do VBP da pecuária no próximo ano para R$ 169,9 bilhões, 0,5% menos do que o deste ano.
O ministério inclui nesse setor bovinos, suínos, frango, leite e ovos.

Já o segmento de lavouras, que deverá registrar queda de 0,5% neste ano, crescerá 4% no próximo. O VBP da lavoura passa dos R$ 290,2 bilhões deste ano para R$ 301,3 bilhões em 2015.

José Gasques, da Assessoria de Gestão Estratégica do Ministério da Agricultura, destaca que o VBP total do país, ao atingir R$ 461 bilhões, deverá superar em 3,1% o de 2013. Em 2015, subirá para R$ 471,2 bilhões.

Editoria de Arte/Folhapress

Destaque neste ano, a pecuária perde força no próximo devido ao desempenho do frango. Na avaliação do ministério, a renda total nesse segmento recua para R$ 58,6 bilhões em 2015, uma queda de 4% ante 2014.

A bovinocultura, que vem puxando o setor de pecuária, manterá crescimento, somando R$ 62,2 bilhões no próximo ano.

Já o segmento de suínos, devido ao ritmo das exportações, terá em 2015 um valor de produção 3,4% acima do de 2014. A estimativa do ministério é de um valor total de produção de R$ 12 bilhões.

Leite e ovos, embora com valores inferiores aos de bovinos e de frangos, vêm se destacando nos últimos anos. Desde 2009, a evolução desses setores foi de 48% e 71%, respectivamente, bem acima do dos demais dessa cadeia.

O destaque das lavouras recai sobre soja, cuja renda deverá atingir R$ 95 bilhões no país em 2015, ante R$ 84 bilhões neste.

O setor de cana, em queda neste ano, volta a repetir um desempenho ruim em 2015, quando o valor da produção recua para R$ 44,6 bilhões.

Um dos destaques é o café que, devido à melhora dos preços internacionais, deverá obter um valor de produção de R$ 19 bilhões em 2015. Uma boa recuperação em relação aos R$ 14,3 bilhões de de 2013, mas ainda bem inferior aos R$ 22,4 bilhões atingidos em 2011.

*

Crédito O estoque de CRA (Certificados de Recebíveis do Agronegócio) atingiu R$ 1,7 bilhão no final de outubro, de acordo com a Cetip, depositária de títulos privados de renda fixa e câmara de ativos privados.

Evolução Esse valor aponta um alta de 98% em relação ao estoque observado no mesmo período de 2013 e de 53% quando comparado ao final de setembro de 2014.

Raízen Essa intensa evolução no mês passado ocorre devido à maior emissão mensal de CRAs até então, no valor de R$ 675 milhões, captados pela Raízen em outubro.

Sucata O baixo ritmo de atividade do mercado siderúrgico acelera as exportações de sucatas pelas empresas do país, segundo o Inesfa (instituto do setor).

Sem alívio Na avaliação do instituto, as dificuldades vão continuar em 2015, principalmente porque os preços externos estão baixos. As exportações de sucata deste ano somam 476 mil toneladas, alta de 26% ante 2013.

Definidas Os Estados Unidos já colheram 94% da área de soja desta safra 2014/15. No caso do milho, as máquinas já passaram por 89% da área a ser colhida, conforme dados do Usda (Departamento de Agricultura).

Agora é com o Brasil Praticamente definida a safra recorde nos EUA, resta esperar a produção brasileira. Uma redução por aqui elevaria os ganhos dos norte-americanos com os grãos.

Fonte: Folha

18/11/2014 02h00