.........

Vaivém – Safra recorde faz valor de produção crescer no país

.........

SERTAOZINHO, SP, BRASIL- 09-05-2017 : Colheirta mecanizada da Usina Santo Antonio em sertãozinho.Usina Santo Antonio tem toda colheita mecanizada. Mecanizacao no corte de cana e crise no setor de usinas de producao de alcool e acucar, provoca mudancas na migracao de trabalhadores rurais no interior de Sao Paulo. . ( Foto: Joel Silva/Folhapress ) *** *** ( ***EXCLUSIVO FOLHA***)

Colheita de cana em Sertãozinho (SP); valor de produção subirá para R$ 31,1 bilhões neste ano

A grande safra de grãos deverá salvar o resultado final do VBP (Valor Bruto de Produção) neste ano, estimado em R$ 535 bilhões, 4,5% mais do que em 2016.

Os 20 produtos agrícolas pesquisados pelo Ministério da Agricultura vão atingir R$ 367 bilhões, 10% mais do que em 2016.

O principal aumento nesse setor fica para o algodão, cujo valor sobe para R$ 21,1 bilhões, 76% mais do que em 2016.

A soja, o item de maior valor de produção neste ano —R$ 116 bilhões—, terá evolução de apenas 2,3%.

Tanto algodão como soja têm safras recordes, mas os preços externos do algodão são mais favoráveis que os da soja.

Um dos destaques negativos neste ano fica para o trigo, cujo valor de produção recua para R$ 3,3 bilhões, 31% menos que em 2016. Essa queda resulta de área menor de plantio e de problemas climáticos nas lavouras.

Segundo José Gasques, coordenador-geral de Estudos e Análises da SPA (Secretaria de Política Agrícola), a situação da pecuária (bovino, frango, suíno, leite e ovos) não foi tão favorável neste ano quanto a da lavoura.

A queda do faturamento na produção de frango e de bovinos forçou uma redução de 6% no setor neste ano.

Afetado por várias crises no primeiro semestre, o faturamento total da pecuária deverá cair para R$ 167,5 bilhões.

PERDAS

A pecuária foi a grande perdedora nas duas principais regiões de maior faturamento do agronegócio: Centro-Oeste e Sudeste. Enquanto as lavouras aumentaram o VBP em ambas, a pecuária teve queda de 9% e 6%, respectivamente.

Gasques mostra que São Paulo, o maior VBP do país, recebeu a influência positiva da cana-de-açúcar, cujo valor de produção subirá para R$ 31,1 bilhões neste ano.

Já Mato Grosso, o segundo principal Estado em faturamento agropecuário, perde receitas na soja, produto que tem a liderança nacional na produção.

Após ter atingido volume financeiro de R$ 31,1 bilhões em 2016 no Estado, a oleaginosa deverá render R$ 28,2 bilhões neste ano.

Outro baque em Mato Grosso ocorreu na pecuária. O valor de produção do setor de bovinos recua para R$ 9,9 bilhões, 7% menos.

Detentor do maior rebanho do país, Mato Grosso perde receitas devido à queda de preços dos animais, provocada pelas operações da Polícia Federal no setor de carnes.

*

Pelo Norte – As exportações de soja de Mato Grosso atingiram 16 milhões de toneladas até julho, segundo o Imea (Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária).

Pelo Norte 2 – Desse volume, 41% saíram pelos portos do chamado Arco Norte. Há cinco anos, esse percentual era de apenas 18%. Os portos localizados no Arco Norte vêm substituindo gradativamente os do Arco Sul.

Fertilizantes – As importações brasileiras deverão crescer 2,8% neste ano, somando 25,5 milhões de toneladas. A previsão é de Fábio Silveira, da MacroSetor Consultores.

Fertilizantes 2 – As vendas de fertilizantes, porém, vão recuar, em relação às de 2016. Silveira estima entregas de 33,5 milhões de toneladas, 1,8% menos do que as de 2016.

Joel Silva /Folhapress

Por Mauro Zafalon

Vaivém das Commodities

Mauro Zafalon é jornalista e, em duas passagens pela Folha, soma 40 anos de jornal. Escreve sobre commodities e pecuária. Escreve de terça a sábado.

Fonte : Folha