vaivém – Receitas com algodão subiram nove vezes em duas décadas; as com soja, três

Valor real da produção agrícola dobra e leva desenvolvimento para o interior

Trabalhadores carregam sacas de café em armazém em Santos (SP)

Trabalhadores carregam sacas de café em armazém em Santos (SP) – Paulo Whitaker – 10.dez.15/Reuters

A evolução da agricultura movimentou boa parte da economia brasileira nas últimas décadas. Essa participação pode ser constatada pelo avanço do VBP (Valor Bruto da Produção).

Nas duas últimas décadas, o VBP, que de certa forma mostra a renda do produtor, dobrou em termos reais, conforme dados do Ministério da Agricultura.

O estudo, que inclui 17 tipos diferentes de lavouras e foi coordenado por José Garcia Gasques, da Secretaria de Política Agrícola, prevê receitas de R$ 346 bilhões neste ano no campo. Se considerada a pecuária, o valor atinge R$ 516 bilhões.

O maior destaque fica para o algodão, cujo valor da produção atual supera em nove vezes o de há duas décadas. Nesse mesmo período, o valor da produção da soja evoluiu três vezes, e o do milho, uma vez.

O café praticamente manteve o valor de produção de há duas décadas, com evolução real foi de apenas 7%.

Os dados foram corrigidos pelo IGP-DI (Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna) da FGV (Fundação Getulio Vargas).

A pesquisa da Secretaria de Política Agrícola mostra que os produtos voltados para o mercado externo tiveram evolução maior no período analisado. Já os destinados ao mercado interno tiveram queda.

Para Heron do Carmo, professor da FEA-USP (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo), o avanço da agricultura é importante por dois fatores: abre a economia brasileira ao mercado externo e interioriza a produção.

Ao exportar, o Brasil compete com vários outros países e é obrigado a desenvolver ou a trazer mecanismos competitivos de produção para dentro do país, segundo Heron.

O economista acrescenta, ainda, que a lavoura e a pecuária levam o desenvolvimento para o interior. "A evolução recente começou com o Centro-Oeste, avançou para Rondônia e agora chega ao Norte e Nordeste, estados que antes se dedicavam menos à agricultura."

O crescimento da agropecuária não é isolado, segundo Heron. Há uma inter-relação da atividade no campo com a indústria de máquinas, com a distribuição de combustíveis e de insumos e com a área de serviços. Todos caminham juntos, segundo o economista da USP.

OS NÚMEROS

Pelas contas do Ministério da Agricultura, a soja mantém a liderança na arrecadação neste ano. Serão R$ 120 bilhões.

A bovinocultura e a cana-de-açúcar vêm a seguir, com R$ 71 bilhões e 61 bilhões, respectivamente.

Já arroz e feijão terão valores de produção de R$ 9,2 bilhões e R$ 6,2 bilhões. Ambos com recuos na comparação com dados de duas décadas atrás.

Brasil e Arábia Saudita discutem novo sistema de abate de frango

Arábia Saudita e Brasil continuam negociando o modelo de abate do frango brasileiros exportado para o país do Oriente Médio.

Os sauditas não querem a insensibilização dos frangos, via choque, antes do abate.

Essa mudança, exigida dentro dos princípios do abate halal, trará perdas e sofrimento às aves. Sem o choque, elas se debatem muito antes de morrer, segundo a indústria brasileira.

Os dois países estenderam o prazo de negociações para até o fim deste mês. Um acerto entre eles é importante porque os sauditas ficam com 14% do frango exportado pelos brasileiros.

A exigência da Arábia Saudita está sendo feita para todos os exportadores de frango para o país.

?Algodão A área destinada ao produto deverá subir para 1,18 milhão de hectares na safra 2017/18, com alta de 26% em relação a 2016/17.

Algodão 2 A previsão é da INTL FCStone, que atribui o aumento de área à conjuntura de preços internacionais e às favoráveis condições do clima e do solo.

Vaivém das Commodities

Vaivém das Commodities

Jornalista Mauro Zafalon assina a coluna Vaivém das Commodities. Escreve sobre commodities e pecuária.

    Fonte : Folha