.........

Vaivém: Queda de preços das commodities afeta saldo da balança comercial

.........

As exportações de produtos básicos de novembro caíram 25% em relação às de igual período do ano passado, recuando para US$ 6,8 bilhões. Essa queda ocorre devido à desvalorização dos preços médios externos.

As principais quedas ficaram exatamente com os tradicionais líderes de exportações: soja e minério de ferro.

A oleaginosa, cuja participação praticamente desapareceu da balança comercial do mês passado, teve recuo de 14% nos preços médios, em relação a novembro de 2013.

Preço menor e redução na quantidade exportada fizeram com que as receitas do mês passado com soja recuassem para apenas US$ 82 milhões, 77% menos do que em novembro de 2013.

Editoria de Arte/Folhapress

O minério de ferro, líder no mês passado, ao somar US$ 1,58 bilhão, teve recuo de 38% nos preços, ante os de novembro de 2013, apontam dados da Secex (Secretaria de Comércio Exterior).

No setor de agronegócio, poucos produtos obtiveram preços maiores neste ano do que em 2013. O café, ao atingir US$ 200 por saca, foi um deles. O recorde de volume exportado de café e a alta dos preços em 44% permitiram ao país acumular receitas de US$ 5,4 bilhões neste ano. As exportações podem chegar ao recorde de 36 milhões de sacas neste ano.

Outro produto de destaque é a carne suína, cujos preços médios de novembro último superaram em 29% os de igual período de 2013. Os valores de negociações do mês passado já registram queda, no entanto, de 12% em relação aos de outubro.

As carnes mantêm elevação de preços em relação a 2013, mas perdem força diante dos valores de outubro.

*

Pão chinês 1 A China, sempre com atividades de grandes dimensões, começa a concentrar também as maiores indústrias de pão do mundo.

Pão chinês 2 Parte dos lanches fornecidos pelas grandes redes de "fast food" da Europa e dos Estados Unidos já são com pão congelado proveniente da China.

Mais baixa A arroba de carne suína já recuou para até R$ 80 em algumas granjas paulistas. Apesar da proximidade das festas do final de ano, o preço, que chegou a R$ 103, não se sustentou.

Frango O quilo de ave viva também não se sustentou nos R$ 2,70 de há uma semana e iniciou esta a R$ 2,50.

*

Estoque de leite aumenta, e produtor recebe menos

A captação de leite vem aumentando desde junho. Com a demanda sem reação, os estoques sobem e os preços pagos aos produtores estão em queda.

O preço líquido recebido pelo produtor foi de R$ 0,9404 por litro em novembro, na média de sete Estados, 4,28% menos do que os de outubro. Ante novembro de 2013, a queda é de 12%.

A pesquisa de preços e de captação do produto é do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), que faz um acompanhamento mensal do setor.

A perspectiva do mercado é de uma continuidade de queda nos preços do leite também neste mês.

Os produtores baianos tiveram os melhores preços líquidos entre os Estados pesquisados. Na média, receberam R$ 1,0238 por litro.

*

País não consegue repetir as exportações de milho

Após ter atingido 26,6 milhões de toneladas em 2013, as exportações de milho não devem superar 20 milhões neste ano. No mês passado, as vendas externas somaram 2,98 milhões de toneladas, 24% menos do que em igual período do ano passado.

De janeiro a novembro, as vendas externas apuradas pela Secex ficaram em 17,2 milhões de toneladas, 27% menos do que as de igual período do ano passado.

Não é só o volume que cai, mas os preços externos também. Negociado a US$ 198 por tonelada em novembro de 2013, o cereal recuou para US$ 176 no mês passado. As receitas deste ano estão em US$ 3,3 bilhões, com queda de 42% em relação às de 2013.

Fonte: Folha 02/12/2014 02h00