Vaivém – Produção de grãos de MT cresce 88% em dez anos; a de carnes, 71%

 

Mato Grosso, o líder nacional na produção de grãos e de carne bovina, terá um cenário bastante promissor para os próximos anos. É o que prevê estudo do Imea (Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária), em parceria com a UFMT (Universidade Federal de Mato Grosso).

No setor de grãos, a produção, que atingiu 47 milhões de toneladas em 2014, chegará a 88,5 milhões em 2025, com evolução de 88,5%.

A soja continua líder no volume e deverá atingir 46,2 milhões de toneladas em 2025, 74% mais do que o volume atual.

Mas é o milho que terá maior evolução, com crescimento de 113% no período. A produção sai dos 18,1 milhões de toneladas do ano passado para 38,5 milhões em 2025.

A produção de algodão sobe para 3,8 milhões de toneladas, com evolução de 57% no período analisado.

Com tanto avanço na produção de grãos, o Estado terá um dos menores preços da ração. Isso impulsionará também o avanço da produção de carnes, segundo Otavio Celidonio, superintendente do Imea.

A pecuária, mesmo perdendo 20% da área atual, deverá ter um avanço de 46% na produção de carne bovina. Esse aumento virá do ganho de produtividade.

A área perdida pela pecuária irá para a soja, que absorverá pelo menos 5 milhões de novos hectares. Com tanto crescimento, Mato Grosso será responsável pelo aumento de 5% da oferta mundial da oleaginosa nos próximos dez anos, segundo Celidonio.

A oferta de ração dará impulso também à produção de carnes de frango e de suíno. O destaque no setor de proteínas serão os suínos, cuja produção deverá atingir 510 mil toneladas em 2025, 193% mais do que em 2014.

O Imea espera também um avanço da industrialização no Estado, principalmente no setor de etanol de milho.

Celidonio diz que esses números devem alertar governo e produtores para os grandes desafios nas áreas de infraestrutura, logística e armazenagem.

"Existe potencial de produção, mas tem de haver avanços nesses segmentos", diz ele.

*

Exportações Poucos produtos mantiveram evolução no volume exportado no mês passado, em relação a outubro, conforme os dados desta terça-feira (1o) da Secex (Secretaria de Comércio Exterior).

Intensa Os segmentos que aumentaram as exportações foram, no entanto, de forma intensa: suínos, mais 32%; frango, 21%; e suco de laranja, 20%.

 

Por Mauro Zafalon

Vaivém das Commodities

Mauro Zafalon é jornalista e, em duas passagens pelaFolha, soma mais de 38 anos de jornal. Escreve sobre commodities e pecuária. Escreve de terça a sábado.

Fonte: Folha