.........

Vaivém: Por ora, Brasil retira vantagem dos EUA na soja

.........

Pelo menos 70% da área nacional de soja já foi semeada. Serão 31,5 milhões de hectares, o que ajuda a elevar o total mundial para o recorde de 118 milhões de hectares.

Os preços atraentes dos últimos anos fizeram com que o Brasil -o segundo maior produtor mundial- tirasse uma defasagem em relação aos norte-americanos -os lideres no ranking global.

Os brasileiros vêm ganhando competitividade. A produtividade média por hectare do país subiu 16% nos últimos cinco anos (considerando inclusive as estimativas para a safra 2014/15) em relação à média dos cinco primeiros da década de 2000.

Nesse mesmo período, os norte-americanos conseguiram uma elevação de 10% na produtividade. Ambos os países estão com média de 2.921 quilos por hectare.

Editoria de arte/Folhapress

O Brasil foi o que mais ganhou área, com aumento de 36% no período, enquanto os Estados Unidos registraram elevação bem menor: 6,5%.

Com relação à produção, o ganho também é do Brasil, cujo aumento foi de 58% no período, ante 17% nos EUA.

Os dois países têm em comum a vantagem de o consumo mundial, puxado pela China, ter registrado crescimento de 35% no período.

Mas, em um eventual período de armazéns cheios e preços menos remuneradores -o que promete a safra 2014/15-, a preocupação volta a recair sobre os produtores brasileiros de soja.

Mesmo com uma melhoria nos corredores de exportação, principalmente pelo Norte e Nordeste, os produtores nacionais vão depender, e muito, de um reajuste do câmbio para manter competitividade com os norte-americanos. Isso se os preços externos entrarem em rota de queda.

*

Café As exportações continuam aquecidas neste final de ano. Pelos dados da Secex, as vendas externas deverão atingir 2,9 milhões de sacas neste mês, 7% mais do que em igual período do ano passado.

Receitas Além do volume maior, o setor terá também mais receitas. A evolução de 45% nos preços médios da saca de café neste mês, em relação a novembro de 2013, deverá gerar receitas de US$ 582 milhões, uma alta de 54% em relação a igual período do ano passado.

Bem abaixo Na contramão do café, as exportações de soja terão forte recuo neste mês. O volume deverá cair para 160 mil toneladas, com recuo de 75% em relação ao do ano passado.

Valores Com essa queda no volume, a soja perde peso na composição da balança do agronegócio deste mês. As receitas com exportações deverão ser de apenas US$ 70 milhões, ante os US$ 350 milhões de novembro do ano passado, apontam os dados da Secex.

Banana A região de Jaíba, no norte de Minas Gerais, está desenvolvendo um projeto-piloto de exportações de banana para a Europa pelo Terminal de Contêineres de Salvador.

Frequência O objetivo é tornar os embarques mais frequentes, segundo Patrícia Iglesias, do Tecon Salvador. O terminal quer utilizar a experiência adquirida com exportações de manga e de uva do Vale do Rio São Francisco e de limão do norte de Minas Gerais e do interior da Bahia.

*

Suínos

Preço recua para R$ 96 por arroba em SP

A alta contínua dos preços da carne suína não se sustentou, e a arroba, cotada a R$ 100 até segunda-feira (17), baixou para R$ 96 nesta terça-feira (18). Apesar da queda de 3,8% no dia, o valor ainda supera em 30% o praticado pelo mercado paulista há um ano, aponta pesquisa da Folha.

Fonte: Folha

19/11/2014 02h00