.........

Vaivém – Operação Carne Fraca faz UE reduzir compra de carne do Brasil no semestre

.........

IPEÚNA / SÃO PAULO / BRASIL -16 /05/14 -11 :00h - CRIAÇÃO DE FRANGOS ORGÂNICOS . Fazenda Korin ( Foto: Karime Xavier / Folhapress) . COMIDA

Criação de frangos em Ipeúna (SP)

As importações de carne de frango feitas pela União Europeia no Brasil caíram 15% no primeiro semestre deste ano, em relação a igual período do ano passado.

Devido à perda de imagem da carne brasileira, gerada pela Operação Carne Fraca, os europeus compraram apenas 232 mil toneladas de carne de frango de janeiro a junho.

Mesmo assim, o Brasil forneceu 53% da carne de frango importada pelos europeus.

Argentina, África do Sul, Ucrânia e China ocuparam parte da brecha deixada pelo Brasil.

Francisco Turra, presidente da ABPA (Associação Brasileira de Proteína Animal), afirma que essa redução foi necessária. Várias empresas brasileiras tiveram de se adequar às condições exigidas pela União Europeia.

O que o Brasil deixou de exportar no primeiro semestre, porém, deverá ser acrescido ao volume do segundo, de acordo com Turra. Isso porque a União Europeia trabalha com um sistema de cota anual de importação, que será preenchido nos próximos meses.

BOVINA

As importações de carne bovina feitas pela União Europeia no mercado brasileiro também recuaram.

De janeiro a junho deste ano, o Brasil forneceu 37% do total de carne bovina comprada pelos europeus. No ano passado, a participação era de 44%. Em volume, a queda foi de 29% no período.

Os países do bloco europeu compraram 53 mil toneladas de carne brasileira, de um total de 143 mil importadas no primeiro semestre, segundo dados da União Europeia.

*

EUA elevam produção de proteínas no ano

A produção de carne vermelha dos Estados Unidos subiu 4% de janeiro a julho deste ano, em relação a igual período do ano passado.

Os dados são do Usda (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos). A melhor evolução ficou para a carne bovina, cuja produção subiu 5% no período, atingindo 6,6 milhões de toneladas.

A carne suína teve alta de 3%, somando 6,5 milhões de toneladas no período.

*

Para Conab, área de cana cai em SP e moagem nacional será menor

A produção nacional de cana-de-açúcar recuará para 646 milhões de toneladas na safra 2017/18, um queda de 1,7% em relação ao volume da anterior, segundo a Conab (Companhia Nacional de Abastecimento).

Um dos principais motivos da redução de produção é a queda de 5,5% na área de plantio de São Paulo, principal produtor nacional.

Seca, geada, menor renovação dos canaviais e devolução de terras arrendadas por algumas usinas provocaram a queda de área nas lavouras paulistas.

Na avaliação da Conab, a área total nacional com cana é de 8,8 milhões de hectares nesta safra, 3,1% menos do que na anterior.

A produção de açúcar sobe 1,8%, para 39,4 milhões de toneladas, enquanto a de etanol recua 6,1%, para 26,1 bilhões de litros.

A produção de etanol anidro fica estável, mas a de hidratado cai 10%, segundo a Conab.

Karime Xavier /Folhapress

Por Mauro Zafalon

Vaivém das Commodities

Mauro Zafalon é jornalista e, em duas passagens pela Folha, soma 40 anos de jornal. Escreve sobre commodities e pecuária. Escreve de terça a sábado.

Fonte : Folha