.........

Vaivém – Mercado aguarda dados de estoques e de área de plantio dos EUA

.........

 

 

Máquina agrícola faz pulveriazação de soja, em Granger (EUA). *** FILE - This July 11, 2013, file photo shows Blake Beckett of West Central Cooperative as he sprays a soybean field, in Granger, Iowa. Faced with tougher and more resistant weeds, corn and soybean farmers are anxiously awaiting government decisions on a new version of a popular herbicide _ and on genetically modified seeds to grow crops designed to resist it. The Environmental Protection Agency is expected to rule in the fall of 2014 on Dow AgroSciences' application to market Enlist, a new version of the 2,4-D herbicide that's been around since the 1940s.(AP Photo/Charlie Neibergall, File)

Máquina agrícola faz pulveriazação de soja em Iowa, nos EUA

O mercado está de olho na divulgação dos dados de oferta e demanda e de área de plantio que o Usda (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) publicará nesta sexta-feira (31).

Os números projetados pelo mercado já impressionam. Se vierem acima disso, vão afetar diretamente os preços.

Os estoques físicos trimestrais de soja projetados para o início deste mês deverão somar 45,8 milhões de toneladas, ante 36,1 milhões em igual período do ano passado.

Se confirmado, o volume deste período será o maior em dez anos. Ele é elevado devido à supersafra que os Estados Unidos tiveram em 2016/17.

Já o de milho, estimado em 216 milhões de toneladas, deverá ser o maior da história para esse período do ano. No ano passado, estava em 197 milhões.

A divulgação dos dados de estoques ocorre no mesmo dia da de área a ser plantada em 2017/18. O mercado prevê uma elevação de área tanto no milho como na soja, quando comparados os dados com os previstos em fevereiro.

Já em comparação a 2016/17, a área de soja deverá subir para 35,7 milhões de hectares. No ano passado, esteve em 33,8 milhões. A de milho fica em 36,8 milhões, abaixo dos 38 milhões de 2016/17.

Esses dados já estão praticamente assimilados pelo mercado. O problema será se os números do Usda indicarem uma elevação nos estoques de soja e aumento ainda maior da área plantada com a oleaginosa.

O resultado será volume ainda maior de soja no período 2017/18 e pressão para baixo nos preços.

*

PPP na pecuária – A Phibro Saúde Animal e a Apta (Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios), unidade de Colina (SP), criaram a Parceria Público-Privada "Pecuária do Conhecimento", que tem por objetivo disseminar a tecnologia do Boi 777. Ela busca a produção de bois gordos com 21 arrobas de peso vivo em 24 meses, bem acima da média nacional de 36 meses de idade.

Multiplicação – A Phibro faz aporte financeiro para bancar o projeto e a equipe de pesquisadores da APTA Colina coordena eventos teóricos-práticos para pecuaristas, consultores, técnicos e profissionais de indústrias de nutrição animal conheceram a filosofia do Boi 777.

Tecnologias – A parceira visa também apontar a importância do uso das modernas tecnologias disponíveis para aumentar a produtividade da pecuária. Em cinco anos, o "Pecuária do Conhecimento" realizou 80 cursos e reuniu 1.600 participantes.

Charlie Neibergall /Associated Press

Por Mauro Zafalon

Vaivém das Commodities

Mauro Zafalon é jornalista e, em duas passagens pela Folha, soma 40 anos de jornal. Escreve sobre commodities e pecuária. Escreve de terça a sábado.

Fonte : Folha