.........

Vaivém – Exportação de minério evolui mais do que a de agrícolas

.........

Preços do minério de ferro subiram 6,5% no exterior e ações da Vale dispararam nesta segunda

Mina de minério de ferro em Carajás (PA); receita com exportação cresceu 88% em abril

As commodities continuam assegurando saldo à balança comercial. No mês passado, no entanto, minério de ferro e petróleo foram os destaques, com evoluções superiores às das commodities agrícolas.

A soja, devido ao período de safra, mantém liderança nas receitas de exportações neste mês de abril, mas o aumento se limitou a 24% em relação a igual período de 2016. A participação desse item recuou para 22,3% do total exportado pelo Brasil —23% no ano passado.

Já as receitas com minério de ferro, o segundo principal item da balança, somam US$ 1,6 bilhão, com aumento de 88% em relação a abril de 2016.

Com isso, a participação desse item subiu para 9,2% nas exportações totais do país, ante 6,3% em igual período de 2016.

O petróleo, o terceiro principal item da balança no mês passado, rendeu US$ 1 bilhão, com alta de 59% e participação de 5,7% nas exportações totais.

Este início de ano é realmente da soja. Com as receitas de US$ 3,9 bilhões no mês passado, o Brasil já obteve US$ 9,3 bilhões com o produto em grão no período de janeiro a abril.

O açúcar foi um dos poucos itens que aumentaram a participação nas exportações totais do país —4,1% no mês passado. Em abril, as exportações do setor somaram US$ 724 milhões, com aumento de 49% ante igual período do ano passado.

CARNES

Os efeitos da Operação Carne Fraca, da Polícia Federal, ocorrida em março, apareceram nas exportações de carnes de abril.

As vendas externas de carne suína caíram para 2.500 toneladas por dia útil no mês passado, 6% menos do que em abril de 2016. No mesmo período, as de carne bovina recuaram para 3.900 toneladas, 10% menos.

A carne de frango teve uma retração ainda maior, caindo para 16,3 mil toneladas por dia útil no mês passado, 14% menos do que no mesmo período de 2016. Os dados se referem apenas às exportações de carnes "in natura".

Apesar da queda no volume exportado em abril, as receitas aumentaram, devido à crescente recuperação dos preços.

As carnes de frango "in natura" renderam US$ 2,1 bilhões neste ano, 15% mais do que de janeiro a abril de 2016.

O aumento no setor de carne suína foi de 40%, mas as receitas com carne bovina caíram 5% no período, segundo dados da Secex (Secretaria de Comércio Exterior).

*

Venda externa de carne bovina se recupera no final de abril

As exportações de bovinos foram uma das mais afetadas pela Operação Carne Fraca. As vendas na primeira semana do mês eram de 20 mil toneladas, mas recuaram para 15 mil na terceira.

O ritmo voltou a melhorar, e o setor conseguiu colocar 18 mil toneladas de carne "in natura" no mercado externo na última semana do mês.

As exportações totais de carne bovina somaram 91 mil toneladas no mês passado. Dessas, 70 mil foram de carne fresca, no valor de US$ 293 milhões.

Já as vendas externas de miúdos atingiram 15 mil toneladas, enquanto as de carne processada ficaram em 6.103. Esta última, no entanto, foi a que mais rendeu por tonelada: US$ 6.029.

Os principais mercados para a carne bovina brasileira "in natura" foram Hong Kong e China. As vendas do produto processado foram para Estados Unidos e Reino Unido, enquanto Hong Kong lideram as compras de miúdos.

Danilo Verpa/Folhapress

Por Mauro Zafalon

Vaivém das Commodities

Mauro Zafalon é jornalista e, em duas passagens pela Folha, soma 40 anos de jornal. Escreve sobre commodities e pecuária. Escreve de terça a sábado.

Fonte : Folha