Vaivém – Com Venezuela em crise, exportação de gado vivo cai 64% em 2015

 

As vendas de animais bovinos vivos despencaram neste ano. Os dados de janeiro a novembro do Ministério do Desenvolvimento indicam exportações de apenas 192,5 mil animais, um recuo de 64% em relação à média de igual período dos três anos imediatamente anteriores.

A Venezuela é a principal responsável pela queda nas vendas brasileiras. Mergulhado em dificuldades econômicas, o país –que tradicionalmente compra próximo de 80% dos bois exportados pelo Brasil– adquiriu apenas 102 mil neste ano, 78% menos do que em igual período de 2014.

Além da redução de compras dos venezuelanos, Angola, Turquia e Egito abandonaram o mercado brasileiro neste ano. Já o Iraque voltou ao mercado brasileiro, comprando 7% dos bois exportados neste ano.

A sangria do número de bois exportados refletiu também nas receitas obtidas com as exportações. Nos nove primeiros meses deste ano, as vendas externas de boi em pé renderam 182,6 milhões, 70% menos do que os US$ 608,2 milhões de igual período de 2014.

A Venezuela, que tinha gasto US$ 496 milhões de janeiro a novembro do ano passado com as compras no Brasil, despendeu apenas US$ 109 milhões neste ano no mesmo período, segundo dados da Secex.

*

Inflação de produtos agropecuários é de 14,6% em 12 meses

A taxa média de elevação dos produtos agropecuários no atacado recuam neste mês, mas o acumulado em 12 meses continua elevado.

Conforme dados do IGP-10 –índice que acompanha os preços médios de 11 de um mês a 10 do seguinte–, a inflação acumulada do setor é de 14,6% no atacado.

Açúcar, cuja previsão é de um deficit na oferta mundial em relação à demanda, é um dos motivos da pressão da taxa.

Além dessa demanda externa, a valorização do dólar também puxa os preços internos do produto.

Já a soja, após um período de alta, começa a registrar queda nos preços. Nos últimos 30 dias, até o dia último dia 10, a queda foi de 3,4%, em relação a igual período anterior.

*

Em queda A arroba de boi gordo voltou a cair no noroeste de São Paulo nesta quarta-feira (16). Cotada a R$ 148 até terça-feira, a arroba foi negociada, em média, a R$ 147, segundo acompanhamento de preços da Informa Economics FNP.

Recuo em Chicago O trigo teve perda de 2,2% nos preços futuros nesta quarta-feira. Já milho e soja recuaram 2% e 0,6%, respectivamente.

Por Mauro Zafalon

Vaivém das Commodities

Mauro Zafalon é jornalista e, em duas passagens pelaFolha, soma mais de 38 anos de jornal. Escreve sobre commodities e pecuária. Escreve de terça a sábado.

Fonte : Folha