Usinas termelétricas são desligadas para economizar R$ 1,4 bilhão por mês

As térmicas a gás, a biomassa, a carvão e as usinas nucleares continuarão ligadas

por Agência Brasil

Fabio Rossi

Governo vai economizar R$ 1,4 bi com o desligamento das termelétricas; valor representa cerca de dois terços do custo mensal do governo com as térmicas

O governo vai desligar nesta quinta-feira (4/7) todas as usinas termelétricas movidas a óleo combustível e a óleo diesel, que estavam ligadas desde outubro do ano passado. Essas usinas são as mais caras do sistema elétrico. A medida visa a economizar R$ 1,4 bilhão por mês. O valor representa cerca de dois terços do custo mensal que o governo tem atualmente com térmicas.
A decisão foi tomada ontem durante reunião do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE). Com a decisão, 34 usinas vão deixar de gerar energia. O desligamento representa a saída de 3,8 megawatts. As térmicas a gás, a biomassa, a carvão e as usinas nucleares continuarão ligadas.
As usinas foram acionadas em outubro para garantir a segurança energética do país. Na época, o nível dos reservatórios das hidrelétricas era considerado baixo. O sistema de geração de eletricidade do Brasil é chamado de hidrotérmico, ou seja, a geração por meio de hidrelétricas é a principal, e as térmicas movidas a gás natural, óleo diesel, carvão ou biomassa servem para complementar.
Quando o nível dos reservatórios das hidrelétricas está muito baixo, o governo decide acionar mais termelétricas para garantir que não falte energia no país. No entanto, essa energia é mais cara e mais poluente.

Fonte: Globo Rural