.........

USDA compra suco para remover excesso de oferta e impulsionar preço

.........

 

Produto será usado em programas do governo ou doado para famílias carentes

laranja_suco (Foto: Thinkstock)do suco de laranja já caiu 8% neste ano na Bolsa de Nova York (Foto: Thinkstock)

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) está comprando US$ 20 milhões em suco de laranja para impulsionar os preços da commodity. As compras atendem a um pedido da Flórida Citrus Mutual, associação que promove os interesses de produtores de citros do Estado, e deve remover do mercado cerca de 2,5% da oferta de suco de laranja concentrado e congelado (FCOJ, na sigla em inglês). O valor corresponde a 6 milhões de libras-peso (2.721 toneladas).

"Com certeza, isso terá um efeito positivo para os produtores", disse o executivo-chefe da associação, Michael Sparks. As compras se enquadram em uma lei que permite ao governo remover o excesso de oferta de alimentos do mercado caso isso esteja deprimindo os preços. Desde 1996, o USDA gastou entre US$ 54 milhões e US$ 320 milhões na compra de carnes, frutas, vegetais e outros produtos para impulsionar os preços.

saiba mais

Os produtos comprados são usados em programas do governo ou doados para entidades beneficentes e famílias carentes. Em 8 de agosto, os estoques de suco de laranja concentrado e congelado no país somavam 336,3 milhões de libras-peso (152.543 toneladas), um aumento de 5,8% ante a semana anterior, de acordo com o Departamento de Citros da Flórida.

"Os estoques são bem grandes no momento, e quando estoques aumentam, os preços caem", disse Andrew Meadows, um porta-voz da Flórida Citrus Mutual. Os futuros de FCOJ já caíram 8% neste ano na Bolsa de Nova York (ICE Futures US). No mês passado, as vendas da bebida no varejo dos Estados Unidos somaram 33,52 milhões de galões (126,9 milhões de litros), de acordo com dados da Nielsen publicados na segunda-feira pelo Departamento de Citros da Flórida.

Na comparação com o período correspondente do ano passado, houve queda de 4,4%. O resultado foi o menor da série histórica, iniciada em janeiro de 2002. O consumo da bebida nos Estados Unidos vem caindo há mais de dois anos, com a concorrência cada vez maior de outros tipos de suco e de bebidas energéticas.

POR ESTADÃO CONTEÚDO

Fonte : Globo Rural